Luiz Inácio #Lula da Silva, ex-presidente, deseja que seu depoimento ao juiz Sérgio Moro, previsto para o dia 10 de maio, seja transmitido ao vivo. Apesar do pedido ainda não ser oficial, a finalidade é evitar que ocorra o vazamento de trechos selecionados de seu interrogatório, que será conduzido pelo juiz federal da Operação #Lava Jato. A decisão foi tomada para que não houvesse a divulgação em massa de seu depoimento, da mesma maneira que ocorreu com as diversas interceptações telefônicas, podendo citar entre elas a conversa entre a ex-presidente Dilma e o petista.

Lula iria depor no dia 3 de maio, mas foi adiado pelo Juiz Sérgio Moro, atendendo à solicitação da Secretaria de Segurança Pública do Paraná e da Polícia Federal, que afirmam a necessidade para evitar as manifestações em favor do ex-presidente, que estão programadas para acontecer nos arredores da sede da Justiça Federal, localizada em Curitiba, onde aliás fica o gabinete do juiz federal da Operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Para entender melhor o caso, é necessário lembrar que Luiz Inácio está sendo acusado de receber 3 milhões de reais em propina; parte do dinheiro pode ter sido investido na reforma do triplex, localizado no Guarujá, do qual é acusado de ser dono oculto.

Em reviravolta ocorrida no dia 17 de abril, o juiz exigiu que Lula acompanhasse todos os 87 depoimentos solicitados pela defesa, para a resolução da denúncia na qual a Odebrecht teria comprado, por meio de laranjas, com intuito de beneficiar o ex-presidente, um apartamento em São Bernardo do Campo e um prédio localizado na cidade São Paulo, que seria sede do Instituto Lula. Porém, na última terça-feira (25) informou que poderia rever a exigência, caso a defesa do ex-presidente também considerasse o número de testemunhas convocadas, mas não houve sinais de que as partes tenham entrado em concordância.

Publicidade

Contudo, em entrevista ao telejornal "SBT Brasil", exibida na noite desta quarta (26), Lula alegou que o Ministério Público Federal mentiu ao acusá-lo de ser o proprietário do apartamento tríplex no Guarujá, além disso, disse que, se for preciso, se mudaria para Curitiba, para acompanhar os depoimentos de suas testemunhas de defesa no processo e também aproveitou para confirmar sua candidatura a presidente, novamente, na eleição de 2018, cargo que ocupou entre 2003 e 2009.

Confira a seguir a entrevista divulgada pelo SBT:

#SérgioMoro