Após dois anos da operação #Lava Jato, #Lula e #Moro estarão frente a frente pela primeira vez. O juiz federal intimou Lula para depoimentos em Curitiba no próximo dia 03. Até o presente momento, as investigações da operação Lava Jato, da Justiça Federal, comprometeram nomes importantes, o ex-presidente fora citado algumas vezes em depoimentos e delações de membros envolvidos no esquema de corrupção, algumas vezes com codinomes para tentar disfarçar sua identidade.

Lula, durante todo o processo, atacou a operação e a figura do juiz Sérgio Moro, além da Policia Federal, Ministério Publico e o Judiciário, numa vã tentativa de enfraquecer a imagem pública desta força tarefa e tentar se livrar de um julgamento.

Publicidade
Publicidade

Paralelamente, a operação seguiu firme durante todo o período, buscando indícios que pudessem levar à punição de centenas de políticos, empresários e membros do alto escalão do governo. Após todo este tempo, finalmente ela irá por frente a frente duas das principais figuras do cenário politico nacional.

O depoimento a ser prestado se refere ao triplex no litoral de São Paulo e ao sítio em Atibaia, que, segundo os indícios, seriam de propriedade de Lula. O ex-presidente Luíz Inácio nega que ele seja o proprietário destes imóveis, alegando que não possui relação com os mesmos e que eles pertencem a amigos seus. Trata-se do último depoimento de uma série de outros já tomados no âmbito da Lava Jato. Em depoimentos anteriores, figuras envolvidas no caso afirmaram que o imóvel seria sim de propriedade do investigado, frutos de corrupção.

Publicidade

Movimentos ligados à esquerda e em defesa do petista estão chamando simpatizantes para uma intervenção em Curitiba, como forma de pressionar o juiz, além de "garantir que Lula não seja condenado". Em vídeos nas redes sociais, pessoas ligadas a estes movimentos chegam a afirmar que, se for necessário, eles irão invadir a sede da Justiça Federal, ou mesmo que irão matar o juiz Sergio Moro como forma de evitar a condenação de Lula, veja o vídeo mais abaixo. Um movimento tenta levar 50 mil pessoas a Curitiba no dia do depoimento para apoiar seu líder partidário.

Anteriormente, como testemunha, Lula e Moro já conversaram diretamente, onde ele figurou como testemunha de defesa do deputado Eduardo Cunha, todavia esta conversa se deu via videoconferência, episódio este onde houve a condução coercitiva do ex-presidente para a sede da Polícia Federal, em São Bernardo. O encontro do próximo dia 03 será pessoal, na sede da Justiça Federal.