A ex-presidente #Dilma Rousseff (PT), está participando de vários eventos fora do Brasil, o último deles foi na Brazil Conference, que uniu várias personalidades brasileiras de destaque, entre elas o ministro Gilmar Mendes e o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato.

Publicidade

Em entrevista para o jornal "Washington Post", Dilma falou que o Brasil esta caminhando ao lado de políticos parecidos com o atual presidente americano, Donald Trump. Ela citou o prefeito da cidade de São Paulo, #João Dória, dizendo que ele é rico como Trump e fez a versão brasileira do seriado "O Aprendiz".

Publicidade

Dilma Rousseff também não se esqueceu o deputado federal #Jair Bolsonaro, um dos nomes que se destacam para ocupar a cadeira presidencial em 2018.

A ex-presidente disse que Bolsonaro representa a "extrema-direita" no Brasil e que é um dos líderes nas pesquisas de opinião, ganhando grande destaque. Dilma contou na revista que os brasileiros buscam personalidades com esse perfil porque o atual governo se tornou irrelevante. Ela caracteriza que Dória e Bolsonaro agem como se fossem "salvadores da pátria" e que utilizam de um forte marketing de ideias que se baseiam no que Dilma chamou de pós-verdade. A palavra pós-verdade significa utilizar opiniões pessoais e termos para "modelar" a opinião pública.

Sobre Bolsonaro, a ex-presidente diz que não se surpreende com sua projeção para 2018, pois ele ganhou apoio de pessoas que têm raiva do atual cenário político brasileiro.

Publicidade

Criticando Michel Temer, a petista afirma que é necessário novas eleições como sinal de democracia no país. Os petistas utilizam o argumento de que o processo de impeachment que tirou Dilma do poder e rebaixou o Partido dos Trabalhadores foi um "golpe".

Jair Bolsonaro

Em uma realizada pela "DataPoder360", mostra que João Dória e Bolsonaro têm muito a comemorar sobre o futuro presidencial do Brasil. A pesquisa foi a primeira feita após as "bombas" das delações premiadas de executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht. Lula ficou com 25% de intenções de votos, seguido por Bolsonaro com 14% e João Dória com 13%. Vale informar que muito adeptos as políticas de Bolsonaro e do prefeito de São Paulo, não são a favor de Lula ganhar trono de presidente novamente, muitos mostram-se "revoltados" com o petista. Conforme as investigações da Operação Lava Jato avançam, é provável que Lula fique inelegível para 2018, ele já foi réu 5 vezes em acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.