O ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, réu em seis processos, irá depor no dia 3 de maio, para o juiz federal Sérgio Moro, da 13° Vara Federal de Curitiba, Paraná. Lula que vem se vitimizando a um bom tempo e contando com o apoio de movimento sindicais, é alvo pelas investigações da Operação Lava Jato, os crimes que está sendo acusado são, em sua maioria, de lavagem de dinheiro e #Corrupção.

O depoimento do dia 3 que está sendo tão esperado, fez "apoiadores" do petistas a traçarem uma estratégia. Movimentos da CUT (Central Única dos Trabalhadores), UNE (União Nacional dos Estudantes) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra irão juntar seus militantes em prol do ex-presidente: Eles pretendem fazer discursos ao mesmo tempo em que Lula é ouvido por Sérgio Moro.

Publicidade
Publicidade

Será montado um "palanque" do lado de fora da Justiça Federal, com objetivo de pressionar as investigações do MPF.

Nenhuma das entidades citadas assumiu a organização do que eles chamam de "evento", os militantes iriam se revezar em discursos, provavelmente citando o que Lula mais diz nos meios de comunicação, que é colocar-se como "perseguido" por Sérgio Moro e pelo Ministério Público Federal. Os militantes irão fazer caravanas para viajarem até a capital paranaense em apoio ao ex-presidente juntamente com movimentos sociais.

Lula réu

Em um processo na qual o ex-presidente é acusado de receber vantagens indevidas da empreiteira OAS, Sérgio Moro irá começar a ouvir os réus a partir do dia 20 de abril. Entre os réus, está Léo Pinheiro (nome verdadeiro é José Aldemário Pinheiro Filho) e o ex-executivo da OAS, Agenos Franklin Magalhães.

Publicidade

Lula será o último interrogado, será a primeira vez em que ele ficará pessoalmente de frente com o juiz federal tão comentado pela mídia, sendo conhecido por ter colocado na cadeia grandes nomes da sociedade, incluindo empresários e políticos famosos.

Lula responde a um processo sobre o triplex no Guarujá, o ex-presidente teria recebido propinas milionárias da empreiteira, em troca de uma reforma e armazenamento de seus bens pela OAS. Lula também responde sobre um terreno que serviu como sede para o "Instituto Lula". #SérgioMoro