Continuando a série de entrevista que tem feito no SBT, o jornalista Kennedy Alencar conversou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A conversa com o pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência da República em 2018 foi ao ar nesta quarta-feira (26).

A oitiva de #Lula ao juiz federal Sergio Moro, em Curitiba (PR), estava marcada para o dia 3 de maio e foi remarcada, a pedido da Polícia Federal, para o dia 10. O ex-presidente falou sobre o depoimento.

“Estou com vontade de prestar este depoimento porque vai ser a primeira vez que vou ter a oportunidade de, na frente do Moro e na fala das pessoas que me acusam, poder dizer aquilo que eu penso, aquilo que eu sei, aquilo que eu fiz e poder contraditar aquilo que eles disseram que eu fiz.

Publicidade
Publicidade

É um depoimento que eu não tenho que provar a minha inocência”, garantiu Lula.

Sobre a quantidade de testemunha, a defesa de Lula chamou 87 pessoas para depor, o petista falou que Moro não pode julgar a quantidade de testemunhas, mas a qualidade dos depoimentos. “Ele não pode cercear o direito de defesa que eu tenho”, afirmou Lula. Para o ex-presidente, o juiz federal deve respeitar o estado de direito.

O homem forte do PT também chamou de mentiroso o delator Léo Pinheiro, dono da Construtora OAS, que o acusou de ser dono do tríplex no Guarujá, no Litoral de São Paulo.

Corrupção

O ex-presidente é visto por muitos como o grande responsável pelo esquema de corrupção que aconteceu no Brasil nos últimos anos, especialmente em seus dois governos, entre 2003 e 2010.

Lula mostrou-se favorável a Lava Jato, mas com ressalva.

Publicidade

“A Operação Lava Jato, ela tem méritos, na medida em que está apurando a corrupção”, disse o petista, para em seguida criticar. “Qual a crítica que eu faço à Lava Jato? É que o juiz Moro subordinou o sucesso da apuração à criminalização das pessoas na opinião pública pela imprensa. Quem sabe das coisas não são os advogados de defesa, quem sabe das coisas são a imprensa primeiro”, criticou Lula.

Pouco antes disso o ex-presidente havia falado que ele e qualquer dos 204 milhões de brasileiros são favoráveis a qualquer processo que apure corrupção. Lula aproveitou para elogiar o governo petista. “Nós fortalecemos as instituições que verificam corrupção nesse país”, afirmou.

Lula ainda fez uma comparação entre as acusações que recaem sobre o PT e sobre outros partidos, como o PSDB. “Dizem que o PT pegou para o partido, pegou para a eleição, agora o que você está vendo nos outros partidos é conta pessoal. As denúncias são de contas pessoais. Isso é muito mais grave”, declarou.

A entrevista de pouco mais de 50 minutos pode ser assistida na íntegra abaixo:

#operaçãolavajato #Entrevista do Lula