O ex-ministro Antonio Palocci, que participou dos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio #Lula da Silva e Dilma Rousseff, pediu alguns minutos, no final do seu depoimento, ao juiz Sérgio Moro para sugerir "entregar informações", que segundo ele, vão ajudar muito a Operação Lava Jato. Ele esteve frente a frente com Moro, nesta quinta-feira (20).

Palocci mostrou ao juiz que estava cansado de viver na corrupção imposta pelo PT ou talvez estava se prevenindo de uma punição pesada contra ele. O ex-ministro falou ao magistrado que está à disposição da #Justiça para fornecer nomes, endereços, operações realizadas e vários outros detalhes que facilitarão os trabalhos da força-tarefa da Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

"A hora que o senhor quiser eu falo tudo, se estiver com a agenda ocupada, posso falar para quem o senhor determinar", disse o ex-ministro.

Elogios

O petista se rendeu aos trabalhos realizados por Moro dizendo que a Operação Lava Jato é muito importante para o país. Foi uma grande surpresa para Moro ouvir isso de alguém que tem nas mãos todo o esquema que pode levar a prisão do ex-presidente Lula. Conforme as denúncias e delações dos executivos da Odebrecht, Palocci levava dinheiro vivo e entregava para o ex-presidente, além de vários outros acordos fraudulentos, onde ele era uma das chaves principais de contato.

A Lava Jato é a maior operação contra a corrupção já feita no Brasil. "Posso dar caminhos que favoreçam mais um ano de trabalhos, mas que será para o bem do Brasil", disse Palocci.

Publicidade

Denúncia

Palocci foi interrogado sob diversas acusações, como lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e contratos fraudulentos.

De acordo com as investigações, o ex-ministro participou de um esquema de corrupção, entre 2006 e 2015, que favorecia aos interesses do alto executivo da empreiteira Odebrecht junto ao governo federal. Palocci era o intermediador da alta cúpula do governo com a construtora.

O Ministério Público Federal investiga e aponta fraudes em contratos, onde a Odebrecht, além de ter exclusividade em licitações também tinha poder de decidir o lucro ganho em cada contrato. O petista interferiu para que as 21 sondas contratadas fossem divulgadas em um edital de publicação garantindo amplos direitos à Odebrecht.

Palocci pode se tornar o maior pesadelo de Lula [VIDEO], já que ele era um dos braços direitos do ex-presidente. Lula terá encontro com Moro no dia 03 de maio para dar explicações sobre reformas num sítio e num triplex. #SérgioMoro