A Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, literalmente, veio a público expressar os riscos inerentes a chamada "#lei de abuso de autoridade", cuja autoria se deve ao senador #Renan Calheiros (PMDB-AL) e relatoria de Roberto Requião (PMDB-PR). Por meio das redes sociais, representantes da força-tarefa da Lava-Jato alertaram a população sobre os reais propósitos de uma lei que tem como autor, um dos políticos investigados da força-tarefa, com cerca de onze inquéritos sobre sua cabeça; Renan Calheiros. Em um vídeo, os procuradores Carlos Fernando Lima, Deltan Dallagnol que é o coordenador-geral da força-tarefa e a procuradora Isabel Cristina Groba Vieira, foram contundentes em expressar toda a preocupação do Ministério Público, Polícia Federal e juízes federais.

Publicidade
Publicidade

O texto da "lei de abuso de autoridade" deverá ser analisado nesta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, ao ser apresentado pelo senador Roberto Requião, relator da matéria. O senador pretende que o relatório seja votado em regime de urgência. Segundo o Ministério Público Federal, essa lei é uma clara "tentativa de se frear" a Operação Lava-Jato. O projeto prevê punições para ocupantes de cargos públicos, que possam, de qualquer modo, extrapolar as suas funções ao desempenharem o seu trabalho de investigação. Na prática, a lei, se aprovada, poderá inibir substancialmente as apurações e o trabalho de juízes, procuradores e delegados federais, acarretando que o criminoso tenha em mãos, a possibilidade de poder processar quem o julga.

Vídeo repercute nas redes sociais

Um vídeo publicado por integrantes da força-tarefa da Operação Lava-Jato, alerta a população, através das redes sociais, sobre o risco às investigações, se a lei contra abuso de autoridade, vier a ser aprovada no Congresso Nacional.

Publicidade

Segundo o procurador Carlos Fernando, "todos são contra o abuso de autoridade, mas não é isso que está em jogo nessa discussão. O projeto promove uma verdadeira vingança contra a Lava-Jato", ressaltou o procurador. Ele conclui ainda afirmando que o grande objetivo da lei, é "processar criminalmente o policial que investiga o criminoso, o procurador que o acusa e o juiz que o julga",

A procuradora Isabel Cristina fez um apelo à mobilização da sociedade para que se evite a aprovação de uma lei que "quer calar a Lava-Jato". O coordenador-geral da força-tarefa, Deltan Dallagnol, se manifestou na mesma linha, ao declarar que o intuito da lei é "calar a força-tarefa e também o juiz Sérgio Moro". Ele também pede aos brasileiros que "não permitam que isso aconteça,se manifestando contra essa lei, viralizando o vídeo, demonstrando toda a indignação".

Assista ao vídeo gravado pelos procuradores da #Lava Jato: