João Santana, marqueteiro da campanha petista, deu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta segunda-feira (24). Santana comentou que foi obrigado a diminuir as aparições do presidente #Michel Temer em peças publicitárias ao notar que todas as vezes que Temer aparecia se percebia uma decaída no número de votos para a ex-presidente #Dilma Rousseff.

Pesquisas apontavam que Temer não era bem visto para as pessoas e um dos motivos disso seria a sua imagem ligada ao "satanismo". De acordo com Santana, essa alusão se dava devido à existência de um escritor do século 17 que escrevia sobre esse tema em suas obras. Daniel Mastral era um ex-satanista convertido e em seu livro conta que seu pai era um político que tinha pactos com as trevas.

Publicidade
Publicidade

As pessoas falavam que as características descritas pelo autor tinha um parecer muito grande com Michel Temer.

O marqueteiro comentou sobre esses detalhes após ser questionado pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo que visa a cassação da chapa Dilma-Temer, sobre qual seria o papel do vice-presidente na campanha de Dilma. O marqueteiro deixou claro que sua relação com o peemedebista acontecia apenas nos dias em que eram marcados gravações de comerciais. Santana não mostrou provas, mas disse acreditar que Temer participou de caixa 2.

Satanismo

Em novembro do ano passado, o deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ) discursou numa sessão da Câmara dos Deputados e pediu para que o presidente abandone a maçonaria e o satanismo e que venha correndo para Jesus Cristo.

O deputado antes era do PSOL mas foi expulso do partido ao fazer declarações de cunho religioso.

Publicidade

Em todas as suas falas entra um tipo de "fanatismo". Daciolo insisitu para que o peemedebista procurasse Deus e se arrepende-se dos seus pecados.

Dacíolo terminou seu discurso dizendo que "Religião e Deus não combinam".

Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia negou esses rumores e disse que isso não tem nada a ver com o presidente. Segundo Malafaia isso é apenas boato, uma história "sem pé nem cabeça".

O presidente Michel Temer também negou essas "atrocidades" contra sua pessoa.

Vários deputados evangélicos, na dúvida, começaram a fazer orações para Temer, pedindo para que Deus o capacite a tomar as melhores decisões para o Brasil.

O depoimento de João Santana e sua esposa foi feito Salvador, na Bahia. Um outro funcionário do casal também fará seu depoimento. #PT