Michel #Temer governa o Brasil com a certeza de que cumprirá o seu mandato até o final de 2018. Nem a possibilidade da anulação do impeachment de Dilma Rousseff nem o julgamento da chapa Dilma-Temer no #TSE parecem o preocupar. Em entrevista no último final de semana, o peemedebista teceu comentários sobre o processo em curso na Justiça Eleitoral.

Temer garantiu que espera que o caso seja julgado como improcedente e que sua chapa seja absolvida no julgamento. Mas, em caso contrário, lembrou que caberá recursos e que mesmo assim haveria um "longo percurso processual" a ser seguido, o que levaria o tempo do seu mandato.

"Eu não sei qual vai ser a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre esta matéria, mas o que sei é que caberá recursos tanto internamente quando no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF)".

Publicidade
Publicidade

"Isso indica que ainda há um longo caminho processual a ser seguido. Então, se projetarmos o pior cenário possível, que seria a cassação da nossa chapa, poderemos entrar com recursos", acrescentou.

Vice-presidente eleito na chapa de Dilma Rousseff em 2014, Michel Temer assumiu oficialmente o poder em agosto de 2016, quando a petista foi destituída a partir de um processo de impeachment - o segundo da história da democracia brasileira.