A ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), deixou o governo no fim do ano passado, mas ainda passa por momentos verdadeiramente turbulentos. Nesta quinta-feira (11), como mostra uma reportagem do site da Revista Veja, um popular perfil da internet brasileira, relacionado diretamente com a ex-presidente, foi exposto pela delatora da Operação Lava Jato Mônica Moura. A conta do facebook 'Dilma Bolada', famosa por tentar suavizar a imagem da política, teria recebido uma quantia para permanecer com o perfil ativo.

O perfil na internet mantinha uma imagem positiva de Dilma. A própria ex-presidente chegou a se encontrar algumas vezes com o criador da página, o então estudante de administração Jeferson Monteiro.

Publicidade
Publicidade

Pedido de campanha

Na época da campanha eleitoral, em 2014, Monteiro desativou a página oficial por não querer se envolver em disputa política. Um grupo ligado à Rousseff, no entanto, esforçou-se para mudar a ideia do rapaz a continuar no barco, naquele que era um momento tão importante para a representante do Partido dos Trabalhadores (#PT). Parece que o esforço deu certo.

Na época em que o rapaz tirou o perfil do ar, ainda que temporariamente, 'Dilma Bolada' tinha 1,4 milhão de seguidores. O conteúdo era alvo de comentários nas ruas, faculdades e até em salões de beleza. Na época, Monteiro chegou a usar o Twitter para dizer que apenas quis tirar o perfil do ar e que nunca teria recebido qualquer centavo para que a página falasse bem de Dilma. No entanto, em delação premiada à Justiça Federal, Mônica Moura, mulher do marqueteiro de Dilma na campanha de 2014, João Santana, contou que foi feito um pagamento para que Monteiro permanecesse com o perfil ativo.

Publicidade

O casal de marqueteiros teria tirado 200 mil reais em dinheiro vivo do 'Caixa 2' da campanha de Rousseff. Caixa 2, para quem não sabe, é o dinheiro não declarado à Justiça Eleitoral. Toda a quantia foi entregue ao dono do perfil, que a partir daquele momento foi financiado pelo esquema de corrupção, comum em campanhas eleitorais no Brasil.

Segundo Mônica Moura, Rousseff teria ficado furiosa com o fato da página ter saído do ar e essa foi a maneira rápida que encontraram de sanar essa dificuldade.

Dilma, por meio de seus assessores, divulgou nota desmintindo a acusação. #Dilma Rousseff