Um acampamento montado pelo #MCC (Movimento Contra a #Corrupção), composto de apoiadores do juiz Sérgio Moro e da Operação Lava Jato, foi atacado por homens mascarados na manhã deste domingo (7), segundo denúncia dos próprios manifestantes.

O acampamento foi montado na Praça Pedro Alexandre Brotto, situado na Avenida Anita Garibaldi, no bairro Ahú, em Curitiba, no Paraná. Pelo menos cinco movimentos que se intitulam combatentes da corrupção se reúnem no espaço, que fica em frente à Justiça Federal.

Faça um tour pelo acampamento por meio do vídeo abaixo:

Mascarados

O acampamento foi montado em frente ao prédio da Justiça Federal, onde atua Sérgio Moro, o juiz da Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Conforme depoimento do líder do movimento, Narley Resende, o local foi atacado por aproximadamente dez homens, os quais escondiam o rosto com máscaras.

Segundo o manifestante, a coordenadora do grupo recebeu uma ligação de um vizinho que mora perto do acampamento, que teria informado que o local havia sido completamente destruído pela ação de vândalos, com faixas e placas totalmente danificadas.

Depois do aviso, alguns manifestantes foram ao local para averiguar o prejuízo. Segundo Resende, o local estava em pé até às 20h30 deste sábado (6), momento em que os manifestantes deixaram o local.

O MCC pediu o apoio da polícia para que investigue os fatos e tome alguma atitude para punir os responsáveis.

Não foi a primeira vez

O acampamento foi erguido em 2014 em frente à Justiça Federal em Curitiba.

Publicidade

Na ocasião, a Operação Lava Jato começou a ser divulgada pela mídia. Desde aquele ano, praticamente todos os dias os integrantes de movimentos de combate à corrupção e de apoio à Lava Jato fazem revezamento para ficar no local.

Em 16 de fevereiro deste ano, no entanto, o grupo teve um mal-entendido com a Prefeitura de Curitiba, que mandou desmontar o acampamento e pediu para que funcionários públicos retirassem toda a estrutura do local com a ajuda de caminhões. Na época, a administração municipal divulgou que os manifestantes não deveriam ocupar o espaço em observância às normas de urbanismo e meio ambiente.

Depois, representantes da Prefeitura acabaram se reunindo com os manifestantes e os informaram sobre a proibição de colocar faixas e placas anexadas em árvores ou na rua. Após as devidas adequações, o acampamento foi mantido no local e era monitorado pelos manifestantes, que evitavam a depredação do local, revezando-se todos os dias, incluindo nos finais de semana.

O MCC também faz carreatas e passeatas divulgando o Movimento Contra a Corrupção. Veja o vídeo:

#SérgioMoro