O clima foi considerado "tenso" durante alguns momentos no depoimento do ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, prestado ao juiz Sérgio Moro, nesta quarta-feira (10), na sede da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná. A duração ultrapassou cerca de cinco horas de depoimento, quase que ininterrupto. O ex-presidente Lula é réu no âmbito da Operação Lava Jato e responde nessa ação penal, com referência às acusações atribuídas a ele, em relação à compra de um apartamento tríplex, localizado na praia de Astúrias, na cidade de Guarujá, litoral do estado de São Paulo. A capital paranaense vivenciou um momento atípica em sua rotina.

Publicidade
Publicidade

Em pleno dia de semana, um contingente muito grande de militares e forças de segurança de todo o Paraná, se encontravam na cidade, o que acabou afastando qualquer risco de conflito entre apoiadores do ex-presidente Lula e também dos que apoiam a Operação #Lava Jato da Polícia Federal.

Embates entre advogados de defesa e acusação

Durante a realização da audiência, o juiz Sérgio Moro, titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal do Paraná e responsável pela condução da Operação Lava Jato, questionou o ex-presidente Lula, réu no âmbito da foça-tarefa, a respeito se o ex-presidente Lula "estaria vislumbrando qualquer tipo de contradição em seu posicionamento ao informar ao juízo que não teria responsabilidade alguma em referência a todos os crimes observados, mas também não reconhecer qualquer responsabilidade em integrantes de seu partido e do governo", indagou o juiz federal.

Publicidade

Naquele momento, o advogado de defesa de Lula, Cristiano Zanin Martins, interrompeu o magistrado e questionou o método de indagações de Sérgio Moro em relação o seu cliente, afirmando que "o juiz Sérgio Moro pediu um posicionamento político de Lula em relação à pergunta proferida e que a orientação da defesa técnica é que o magistrado não emitisse questionamento que não estivesse contido no processo em questão", disse o advogado de Lula.

Após a interrupção a Sérgio Moro, por parte do defensor de Lula, o advogado de acusação, René Ariel Dotti, foi incisivo ao rebater o modo com que o advogado Cristiano Zanin vinha fazendo interrupções costumeiras, tumultuando a realização da audiência, ao afirmar que "um magistrado possui, evidentemente, o interesse de apurar os fatos e as condições pessoais do acusado, na individualização da pena, se este for o caso, assim como as condições morais, já que o juiz pode perguntar por ser matéria de afixação da pena, o que parece que não se respeita a autoridade do juiz do caso", desabafou o advogado da acusação, René Ariel.

Veja o momento do embate entre defesa e acusação, aproximadamente durante o minuto 14:20 de gravação.

#Corrupção