Michel Temer completou um ano à frente da presidência da República na última sexta-feira (12). Inicialmente, no dia 12 de maio de 2016, o Senado aprovou o afastamento temporário da ex-presidente Dilma Rousseff, que, posteriormente, no dia 31 de agosto, teria confirmado o impeachment oficialmente e o peemedebista assumiria o cargo em definitivo. Nesse um ano de governo Temer, muitas críticas surgiram, inclusive daqueles que apoiavam a saída da petista.

Segundo Miguel Reale Jr, um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma, em entrevista à BBC Brasil, Temer está preocupado com o Congresso, não com a sociedade.

Publicidade
Publicidade

Por isso, os brasileiros possuem uma alta rejeição ao seu nome.

O ex-petista, senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que votou a favor do impeachment de Dilma, tem uma ideia muito parecida com a de Miguel Reale. Segundo Buarque, a maior preocupação de Temer é ter seus projetos aprovados no Congresso, não dialogar com a sociedade.

A caricata advogada Janaína Paschoal, que ganhou destaque nacional após seus "shows" durante o impeachment da ex-presidente Dilma, afirmou que Temer "não tem perfil para estar no 'front'". Segundo a advogada, Michel Temer realiza reformas importantes, mas não sabe explicar quais as razões que levam a essa importância. #Dentro da política