A noite desta quarta-feira, dia 17 de maio, começou com uma notícia bombástica vinda de Brasília. Após a postagem no site do jornal O Globo, o país parou para acompanhar o desenrolar da novela #Temer na presidência. É que o chefe de Estado foi flagrado em um áudio vazado supostamente "comprando" o silêncio de Eduardo Cunha (PMDB), ex-presidente da Câmara de Deputados e presidente do seu partido, é que está na prisão. A denúncia foi postada na coluna do jornalista Lauro Jardim.

O noticiário da noite, no Jornal Nacional, deu todo o desenrolar do fato para que os brasileiros acompanhassem o que aconteceu na capital federal após a publicação da nota.

Publicidade
Publicidade

Já em Brasília, os deputados ficaram indignados e já protocolaram um pedido de #Impeachment de Michel Temer da presidência do país. O atual governante entrou no Poder em lugar de Dilma Rousseff (PT), que foi acusada de ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no período em que esteve no comando do Poder Executivo. Quem formulou o pedido foi Alessandro Molon (Rede-RJ).

Caso o pedido seja aceito pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), será montada uma comissão especial para avaliar o assunto.

Sendo expulso da presidência e condenado pelo Senado, ao fim do processo, Temer perderá a função e ficará inelegível por oito anos, segundo preceitos constitucionais.

Quem assumiria a presidência no lugar de Temer teria que ser Rodrigo Maia, que está à frente da Casa Legislativa.

Outro parlamentar que pediu pelo impeachment foi Afonso Florence (PT-BA).

Publicidade

Em entrevista para o site UOL, caso o conteúdo da gravação seja confirmado, "acabou o governo".

Muitos brasileiros ficaram divididos com a situação. Nas redes sociais, a comoção de pedidos "Fora Temer" foi imediata. A chegada do político à cadeira que era de Dilma foi é entendida por parte dos brasileiros como um "golpe de Estado". E essa frente, que defende a saída do presidente, se mostrou bastante contente com a revelação.

"Fora, canalhas!! Não aguentamos mais ver esse ladrão rir da gente", escreveu uma militante na página do jornal O Globo.

Florence completou, dizendo que a veracidade da gravação irá "incinerar o governo, a reforma da Previdência", pretendida por Temer em seu plano de gestão. Há pouco tempo, o presidente apresentou medidas bastante impopulares para poder melhorar a economia do país.

A gravação

De acordo com o jornal O Globo, Joesley Batista, dono da JBS, disse para a Procuradoria-Geral da República que Temer deu o sinal verde para a compra do silêncio de Cunha e de Lúcio Funaro, ambos investigados pela Operação Lava Jato.