Michel Temer vem vivendo o que pode ser considerado o pior momento de sua vida política desde à noite de quarta-feira (17), quando o jornal O Globo, por meio do jornalista Lauro Jardim, divulgou o envolvimento do peemedebista com a delação de executivos da JBS. Após a divulgação do escândalo, a pressão popular e dos partidos de oposição tomou conta do cenário político nacional. Até a madrugada de sexta-feira (19), a Câmara dos Deputados já tinha recebido oito pedidos de impeachment de Michel Temer.

O primeiro foi protocolado pelo deputado Alexandre Molon (Rede-RJ) poucas horas depois da bomba ter estourado em todo país.

Publicidade
Publicidade

Curiosamente, até deputados do PSDB, principal partido da base aliada de Michel Temer, protocolaram um pedido de impeachment contra o peemedebista. O deputado tucano João Gualberto (PSDB-BA) foi o responsável por executar a solicitação.

O pedido mais robusto foi protocolado na tarde desta quinta-feira (18), quando as bancadas do PCdoB, PT, PDT, PSol e Rede, todos partidos de oposição, junto com alguns deputados do PSB, PTB e PHS, partidos da própria base aliada de Temer, e assinaturas de representantes da sociedade civil encaminharam à Câmara dos Deputados o pedido de impeachment de Michel Temer. #Dentro da política