Ainda não faz um ano que #Impeachment de Dilma Rousseff foi consumado dentro do Senado Federal. Mesmo em pouco tempo, o Brasil pode passar por um novo processo dessa natureza - agora, com o antigo vice de Dilma e que herdou o cargo, Michel #Temer.

Até esta segunda-feira, 22, eram 14 pedidos de impeachment de Michel Temer que permaneciam a serem analisados na mesa da Câmara dos Deputados. Vale lembrar que compete ao presidente da Casa, que no momento é Rodrigo Maia (DEM-RJ), autorizar ou não a abertura do processo.

Destes 14 pedidos, cinco já estavam protocolados antes da "bomba" da última quarta-feira, quando veio a público uma gravação de um diálogo entre o empresário Joesley Batista, da JBS, e Temer, em que supostamente o presidente teria dado o seu aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha, deputado cassado e preso pela Operação Lava-Jato.

Publicidade
Publicidade

Desde quarta, outros nove pedidos já foram protocolados e um novo deve ocorrer essa semana. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já decidiu que enviará um pedido de impedimento de Temer nos próximos dias, a partir de aprovação geral do órgão no último final de semana, por 25 votos a 1. O Supremo Tribunal Federal (STF) já abriu inquérito para investigar a conduta do presidente.