Conforme os andamentos das investigações da Operação #Lava Jato, a cada dia que passa surgem novas "polêmicas". Quem agora se envolve é o dono de uma página famosa da rede social Facebook, intitulada "Dilma Bolada". A delatora Mônica Moura, mulher do ex-marqueteiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Santana, afirmou que precisou pagar para o dono da página na rede social a quantia de R$ 200 mil para continuar fazendo postagens favorecendo, na época, a então presidente #Dilma Rousseff.

O dono da Página, Jeferson Monteiro, administra cerca de 1,4 milhão de seguidores. Ele faz sátiras de Dilma e apoia publicamente a atuação da ex-presidente, transmitindo ideias de maneira criativa e humorística.

Publicidade
Publicidade

Em delação, Mônica Moura contou que, para que o jovem continuasse a fazer postagens sobre Dilma, foi pago essa quantia de R$ 200 mil. Na página "Dilma Bolada", é possível ver o rapaz questionando a delação de Mônica. Ele "brinca", afirmando que, se dependesse das afirmações da "Revista Época", ele teria ganho cerca de R$ 500 mil, já segundo Marcelo Odebrecht, o valor chegaria a R$ 1 milhão, e agora, Mônica Moura destaca a quantia de R$ 200 mil.

Veja a postagem do rapaz:

Jeferson também teria tirado do sério da ex-presidente Dilma. Segundo Mônica Moura, o ex-ministro Edinho Silva teria afirmado que Dilma Rousseff não gostou quando a página de Jeferson resolveu sair do ar. Em seguida, Dilma teria ligado para Jeferson e o encontrado em uma reunião, foi aí que a quantia foi repassada para o publicitário.

Publicidade

Delação premiada

A delação de Mônica Moura atinge diretamente a ex-presidente Dilma Rousseff. Em depoimento, a delatora afirmou que havia um e-mail que era usado para troca de informações entre as duas (Dilma e Mônica), o assunto principal era sobre as investigações da Operação Lava Jato.

No depoimento, Mônica afirmou que Dilma precisava conversar com João Santana por meio de um telefone "seguro". A delatora lembrou que essa conversa ocorreu no dia 20 ou 21 de fevereiro.

Dilma ligou e conversou com João Santana a partir de um telefone "seguro" que estava na Alvorada. A ex-presidente avisou o casal de marqueteiros que havia um mandado de prisão para eles. Dilma ainda contou que os papéis foram vistos em cima da mesa de uma pessoa que teria ligação com a #Polícia Federal. Quem teria avisado Dilma Rousseff sobre os mandados de prisão foi o ex-ministro de seu governo, José Eduardo Cardozo.

Mônica Moura afirmou que após aquelas informações apenas ficou "esperando" a deflagração da operação [VIDEO] que a levou juntamente de seu marido para a cadeia.