O prefeito da maior cidade do país, São Paulo, administrada por João Doria, do PSDB, fez uma análise profunda sobre o que poderia acontecer durante a próxima disputa eleitoral com vistas à próxima eleição presidencial para 2018. Doria é visto como um potencial candidato tucano para as próximas eleições para a presidência, já que sua gestão a frente da capital paulista, é bem avaliada por parcela muito expressiva da população. João Doria passou a ser um provável candidato do PSDB, a partir de conteúdos de acordos de colaboração premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht, já que de acordo com as investigações, políticos e figuras carimbadas e tradicionais do partido, foram mencionados e envolvidos nos escândalos de distribuição de propinas dos cofres públicos da Petrobras, no âmbito da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Situação do ex-presidente Lula

O prefeito paulistano foi contundente em classificar a situação do ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva. Segundo João Doria, o Partido dos Trabalhadores (PT), se faz de vítima desde o processo que culminou no afastamento definitivo do cargo de presidente da República, de Dilma Rousseff. Doria foi ainda mais longe ao afirmar que "para o Brasil, seria bom que a derrota de Lula viesse através das urnas, da eleição, democraticamente", ressaltou o prefeito de São Paulo. Ainda de acordo com Doria, "seria sepultado por completo todo esse processo de vitimização, desde o impeachment de Dilma, que o PT fez questão de espalhar, inclusive, até mesmo para o mundo", disse.

João Doria ainda se mostrou muito surpreso em relação ao que considera ser um negócio "inacreditável que tem gente séria que ainda acredita que o ex-presidente Lula seja uma pessoa do bem, que a ex-presidente Dilma seja do bem, uma mulher inteligente, capaz, e que ela teria o direito de continuar a transcorrer o seu mandato presidencial, roubando e destruindo o país, ou seja, ao estimular situações que sejam tão condenáveis, quanto aquelas que foram praticadas no Brasil", desabafou o prefeito paulistano.

Publicidade

Após esse comentário, o prefeito de São Paulo ressaltou que o termo "roubando", colocando num sentido mais amplo, se refere em relação a isso, que "quando diz roubando, quer dizer deixar roubar, ou seja, quem permite roubar, deixa assaltar os cofres públicos, não merece respeito, a menor consideração", afirmou enfaticamente João Doria. #Eleições 2018 #João Dória