Iolanda era o nome que a ex-presidente Dilma Rousseff utilizava como codinome para tentar passar impune de possíveis investigações. A informação foi dada por uma ex-aliada, Mônica Moura, esposa do marqueteiro João Santana. Ela e o marido tinham relação direta com Dilma e foram os responsáveis, dentre muitas coisas, pela sua campanha à presidência no ano de 2014. De acordo com informações do jornal carioca 'O Globo', em reportagem publicada nesta sexta-feira (12), além de revelar que a petista usava Iolanda como nome em seus e-mails, ela enviou provas de que isso acontecia à Justiça Federal. Mônica tenta ter sua pena reduzida pela Justiça. Por isso, além de acusar a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ela tem que provar tudo.

Publicidade
Publicidade

E-mails bomba

Dilma criou o endereço eletrônico 2606iolanda@gmail.com para evitar que qualquer um descobrisse o que ela falava. O que estavam nessas mensagem agora vem à tona e é uma verdadeira bomba para a defesa de Rousseff. Entre os muito recados entre a marqueteira e a presidente, negociações aparecem, quase sempre com o auxílio de codinomes. Antes de criar o e-mail, eles pensaram em um porquê para que ele fosse criado. Dilma disse que o nome da esposa do presidente Costa e Silva era Iolanda e pediu que fosse esse o seu codinome na internet.

A senha era um nome e o número 47, ano em que a ex-presidente, que passou por um extenso processo de impeachment, acabou falecendo. A defesa dos marqueteiros apresentaram cópias de que o e-mail foi registrado pelo casal preso.

Publicidade

O registro das mensagens, no entanto, acabou sendo feito apenas depois da prisão.

Umas das mensagens mandadas por Mônica dizia o seguinte: "Vamos visitar nosso amigo querido amanhã. Espero não ter nenhum espetáculo nos esperando. Acho que pode nos ajudar nisso né?". Ela foi enviada pouco antes da prisão da hoje delatora. Rousseff não teria lido a mensagem a tempo.

Outras mensagens indicando que João e Mônica sabiam que iam ser presos também foram enviadas, sempre cifradas. Elas falavam em pessoas doentes, que significariam que eles estavam prestes a ser detidos.

Defesa de Dilma nega acusações contra ela

A ex-presidente nega que usasse um e-mail e diz que Mônica está tentando obter subterfúgios para conseguir uma redução em sua pena. A defesa diz ainda que isso pode ter acontecido por ela ter passado muito tempo presa e sendo pressionada pela Justiça. #Dilma Rousseff