Na noite desta última terça-feira (02), o apresentador Pedro Bial estreou seu programa batizado de "Conversa com Bial", tendo como sua primeira convidada, a ministra do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, Cármen Lúcia. A conversa foi repercutida por internautas em várias redes sociais.

Em meio a entrevista, Pedro Bial foi enfático ao questionar a ministra sobre o que iria acontecer com a Operação #Lava Jato. Cármen começou afirmando que a operação não estaria ameaçada, mas que na verdade ninguém saberia onde todas as investigações iriam chegar. Aproveitando, a ministra ainda exaltou o povo brasileiro, considerando a população muito valente e corajosa.

Publicidade
Publicidade

Ela ainda contou que o povo está muito cansado com tanta corrupção que assombra o Brasil, e que os brasileiros querem acabar com essa situação que os envergonha. Cármen ainda citou um trecho do hino nacional brasileiro, realçando que "um filho seu não à foge a luta".

Se lembrando sobre sua infância e adolescência, a ministra disse que ninguém poderá calar sua voz, pois aprendeu desde cedo o valor da liberdade quando estudou em um colégio de freiras, entre os 11 e 17 anos. Foi nesse colégio que ela descobriu que queria ser muito feliz e partiu para estudar Direito.

A ministra comentou que acredita que o país ira superar todas as dificuldades que vem acontecendo recentemente. Ela conta que, se desde 1500 os brasileiros conseguem se superar, agora não será diferente. Cármen cita que se todos estiverem unidos, as chances tendem a aumentar ainda mais.

Publicidade

Supremo Tribunal Federal

A Suprema Corte brasileira foi pivô de críticas em diversas mídias e redes sociais após os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski decidirem a libertação do ex-ministro petista José Dirceu. Mendes ainda chegou a criticar o Ministério Público Federal (MPF), por apresentar denuncias contra Dirceu no mesmo dia em que a Suprema Corte iria tomar a decisão final, e ainda afirmou que os procuradores da República estariam de "brincadeira".

Para mostrar o poder do Judiciário, Mendes disse que a soltura de um dos acusados pela Operação Lava Jato, com uma lista de 33 crimes de lavagem de dinheiro, seria para dar uma "lição ao Brasil". Recentemente, o empresário Eike Batista também conseguiu ser solto após ter seu pedido atendido por Gilmar.

Membros do MPF demostraram desgosto pela situação e avaliaram que isso seria um "doloroso golpe" contra as investigações da Lava Jato. #STF #CármenLúcia