O Brasil todo foi surpreendido com a acusação feita pelo dono da empresa JBS, uma das maiores empresas de proteína animal do mundo. Em delação premiada, Joesley Batista afirma que #Michel Temer teria pago uma propina de 2 milhões para calar Eduardo Cunha em uma possível delação que pudesse comprometer o atual #Presidente. Na declaração, Joesley afirma ter a gravação de conversas que comprovam e mostram o presidente falando sobre o assunto e até confirmando o pagamento do valor. Uma notícia que repercutiu de maneira negativa praticamente no mundo todo e que causou mudanças drásticas em diversos setores do país. Algo que contribui ainda mais para as polêmicas na política em que o Brasil está envolvido.

Publicidade
Publicidade

A delação feita por Joesley Batista abre espaço para uma possível saída de Michel Temer da presidência. Temer pode ter que deixar o cargo, sofrer um processo de impeachment a até ser cassado em um processo contra a chapa presidencial, que está aberto desde 2014, no Tribunal Superior Eleitoral - TSE. Existe também a possibilidade de Temer sair do mandato por uma denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República, se o órgão ver, de alguma forma, que houve crime no mandato do atual presidente. Entenda a seguir as 4 maneiras possíveis de Michel Temer perder o cargo de presidente.

Renúncia

Ele poderia renunciar ao cargo de presidente da República e, assim, quem assumiria o cargo seria Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara, que teria um prazo de 30 dias para convocar uma eleição indireta.

Publicidade

Ação contra chapa Dilma-Temer

O presidente tem seu nome evolvido em um processo que terá um novo julgamento no dia 6 de junho. O caso, questiona gastos ocorridos na campanha presidencial que elegeu Dilma e Temer. Segundo a acusação, os gastos foram acima do limite informado pela Justiça Eleitoral.

Pedido de impeachment

Deputados já estão pedindo o #Impeachment do presidente Michel Temer, por comportamento incompatível com o cargo. Se o pedido for aceito, como o que ocorreu com a ex-presidente Dilma, um processo seria aberto contra Michel Temer, que poderia ser afastado em até 180 dias.

Em uma ação penal

Caso a Procuradoria-Geral da República entenda que houve algum crime no atual mandato de Michel Temer, uma denúncia será feita, a qual pode chegar ao Supremo Tribunal Federal, em caso de autorização por boa parte da Câmara. Assim, o STF poderia acolher a denúncia contra Temer.