Cláudia Cruz, esposa do ex-deputado federal #Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recebeu a absolvição da Justiça nesta quinta-feira (25). O juiz Sérgio Moro mandou publicar a sentença. De acordo com ele, não havia provas suficientes de que a mulher de Cunha tivesse agido com dolo (culpa).

A esposa do ex-presidente da Câmara dos Deputados era acusada de ter sido beneficiada pela propina que Eduardo Cunha recebia. Os crimes que pesavam sobre a mulher de Cunha eram evasão fraudulenta e lavagem de dinheiro.

O MPF (Ministério Público Federal) solicitou que Cláudia Cruz recebesse a condenação e que sua pena fosse cumprida em regime fechado.

Publicidade
Publicidade

No entanto, como ela foi absolvida, não ficará presa. Esse processo do qual a esposa de Cunha foi absolvida fazia parte da Operação #Lava Jato.

Ainda pesa sobre Cláudia outra acusação, porém na área cível, onde ela se tornou ré e está sendo acusada de cometido improbidade administrativa. O crime de improbidade administrativa acontece quando se comete atos que provocam prejuízos à administração pública.

Os advogados da esposa de Eduardo Cunha falaram que a justiça foi feita, já que a sentença está reconhecendo que Cláudia não teve nenhuma participação em um esquema criminoso e muito menos que tenha participado de lavagem de dinheiro. Por outro lado, O Ministério Público Federal não gostou do resultado e afirmou que irá recorrer da decisão.

Segundo as investigações da Operação Lava Jato, a mulher do ex-presidente da Câmara dos Deputados teria sido beneficiada através de contas na Suíça.

Publicidade

A propina teria sido por Eduardo Cunha no valor de US$ 1,5 milhão (R$ 4,9 milhões). A origem desse dinheiro teria sido através de um contrato da Petrobras, onde a empresa faria exploração na África. Esse dinheiro foi depositado em contas da Suíça, do qual era objeto de investigação em outro processo, onde Cunha foi condenado.

De acordo com o Ministério Público Federal, parte desse dinheiro foi repassado para Cláudia Cruz e ainda está depositada em uma conta na Europa. Ao proferir a sentença, o juiz Sérgio Moro mandou que esse dinheiro seja confiscado. O valor seria de R$ 566 mil.

De acordo com Moro, a família de Cunha tinha gastos que eram extravagantes, levando em conta que Eduardo Cunha era um agente público. Cláudia Cruz deveria saber que o padrão de vida que eles tinham não era condizente com a fonte de renda do marido.

Moro ressaltou ainda que esse comportamento da esposa do ex-presidente da Câmara dos Deputados é reprovável, mas não é suficiente para que seja condenada por lavagem de dinheiro. Cláudia Cruz e ré em outra ação, onde o MPF solicita que ela perca os valores encontradas em sua conta bancária, além de pagar uma multa e perder os direitos políticos e ficar impedida de ter contratos com a administração pública por dez anos. #Política