Presente em uma padaria localizada na região central da cidade de São Paulo, no dia 11 de maio, estava o economista Paulo de Tarso Venceslau. Ele era uma figura proeminente na militância petista, principalmente, durante o regime militar. No mesmo local, se encontrava o professor de História da Universidade Federal Fluminense, Daniel Aarão Reis.

Ambos possuem algo muito em comum no passado de engajamento na resistência à ditadura militar. Venceslau pôde assistir e acompanhar o depoimento do ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva.

O mais intrigante, é que cerca de vinte anos após ter "detonado" o primeiro escândalo envolvendo o ex-presidente Lula, aproximadamente, durante o mês de maio de 1997, o economista e ex-militante do PT, se deparava com algo que ele já imaginava que aconteceria, que o ex-presidente Lula não sabia de nada e não acompanhava nada do que ocorria em seu entorno.

Publicidade
Publicidade

Análise da figura do ex-presidente

Paulo de Tarso Venceslau discorreu sobre a situação de 1997, em que Lula já se encontrava envolvido juntamente com seu compadre e advogado Roberto Teixeira, o principal acusado num esquema de fraudes por meio de uma rede de favores.

Ao se referir sobre o depoimento prestado por Lula ao juiz Sérgio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato, cujo processo o ex-presidente é réu em relação à compra de um apartamento tríplex na praia de Astúrias, em Guarujá, litoral do estado de São Paulo, o ex-militante foi contundente em sua análise: "É mentira. E a mentira é tão grande que agora, Lula chega a dizer que não tem nenhuma influência no PT. Isso diz tudo, pois, essa prática, eu conheço", revelou o ex-petista.

Em um dos momentos mais tensos do período da ditadura militar no Brasil, durante o ano de 1969, Venceslau chegou a se envolver no sequestro do embaixador norte-americano, Charles Elbrick, que fora libertado mais tarde, em troca da liberdade de cerca de 15 presos políticos, entre eles, o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu.

Publicidade

Tanto Paulo de Tarso Venceslau, quanto Daniel Aarão Reis, assistiram atentamente ao depoimento do ex-presidente Lula e foram contundentes em suas análises a respeito da audiência realizada em Curitiba e também do modo com que o ex-presidente se defendeu no processo do apartamento tríplex do Guarujá, ao afirmar que "Lula jogou tudo às costas de sua esposa falecida, Marisa Letícia, pois, coitada, ela não teve como se defender", ressaltaram os ex-petistas. Venceslau foi ainda mais incisivo em sua crítica dirigida ao ex-presidente: "Lula revelou-se Lula, pois, só não vê, quem não quer", afirmou enfaticamente o economista e ex-militante. #Lava Jato #Corrupção