Além da decisão de acatar o pedido de desmembramento dos inquéritos do presidente #Michel Temer (PMDB) e do senador #Aécio Neves (PSDB-MG), o ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, autorizou nesta terça-feira, dia 30, que a #Polícia Federal (PF) interrogue Temer sobre os áudios obtivos através da delação premiada do empresário Joesley Batista, da JBS.

Segundo determinação de Fachin, o interrogatório pode ser feito por escrito, e Temer terá que responder às perguntas 24 horas após seu recebimento. Segundo informações veiculadas pelo portal G1, o prazo para que a PF conclua as investigações e encaminhe o inquérito a Temer é de cerca de dez dias.

Publicidade
Publicidade

O presidente passou a ser ainda mais pressionado após a divulgação do áudio de uma conversa entre ele e Batista, onde o empresário afirmava estar pagando uma mesada ao ex-deputado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), detido após investigações da Operação Lava Jato. “Tem que continuar isso aí”, disse Temer, ao receber a informação do pagamento de propina a seu companheiro de partido.

Em declarações recentes, Temer afirmou que a gravação é uma "fraude", negando ter autorizado ou incentivado o pagamento de qualquer espécie de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha.