Nesta segunda-feira (29), um momento icônico aconteceu em uma das janelas da Câmara de Vereadores de Salvador, na Bahia. O filho de um dos políticos mais conhecidos do país acabou sendo hostilizado por manifestantes. Eduardo Bolsonaro, eleito pelo PSC de São Paulo, é herdeiro de Jair Bolsonaro (PSC - RJ), acabou sendo alvo de manifestantes da região. O povo ficou irritado e quase bateu no político. O representante da direita brasileira chegou a ser impedido de passar pelo local, onde havia participado de uma reunião pública.

Bolsonaro foge e é alvo de ovadas

Após a atitude ríspida da população local, não restou muita alternativa, a não ser Eduardo sair do local.

Publicidade
Publicidade

Ele decidiu deixar o cerimonial da Câmara e, segundo informações do portal 'A Tarde Online' (vinculado ao UOL), entrou em um veículo oficial da prefeitura e deixou o prédio público. Eduardo não foi ofendido apenas do lado de fora do espaço. Dentro da Câmara também foram registrados protestos. Há relatos de instantes de verdadeira tensão. Alguns cidadãos baianos, inclusive, teriam jogado ovos no parlamentar. O ataque por meio de "ovadas" aconteceu no momento em que o filho de Jair Bolsonaro estava na janela da câmara. Ele, por sorte, conseguiu desviar do ataque e nenhum ovo o acertou.

Revolta e prisões em ato contra política

De acordo com que estava no local, um dos vereadores da Câmara de Salvador, Alexandre Aleluia, do Democratas, teria afrontado o grupo de manifestantes. Por tentarem agredir o deputado, dois manifestantes jovens chegaram a ser presos, mas, segundo o 'A Tarde Online', eles foram liberados logo na sequência.

Publicidade

A detenção causou revolta entre as pessoas que protestam no local. "A nossa manifestação é pacífica. Quero dizer à polícia para prender os errados. Tem que prender os ladrões que estão aí dentro", disse um dos participantes.

Polêmica proposta da 'Escola sem Partido'

Muitas das pessoas que estavam no local protestavam contra um dos mais polêmicos projetos encabeçados pela família Bolsonaro, o 'Escola sem Partido'. Eduardo e o pai defendem a criação de uma lei na qual o professor seja proibido a "desvirtuar" conteúdos com propósito político. Quem protestava dizia que, na prática, discussões sobre os mais variados temas tinham visões diferentes e que estudante não era robô.

Veja abaixo o vídeo que mostra o deputado federal sendo atacado em Salvador, na Bahia:

E você, o que achou da atitude do deputado em fugir do local onde acontecia a manifestação contra ele? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante. #Eduardo Bolsonaro