Marcelo Alonso, um empresário paulista, conseguiu que quase vinte e duas mil pessoas assinassem uma proposta para criminalizar imediatamente o #Funk no Brasil, alegando que esse estilo de música é uma verdadeira ameaça para a saúde pública. Porém, se essa proposta pode ser vista como ridícula para muitas pessoas, a verdade é que, tal como garante o site “Poder 360”, essa proposta conseguiu chegar ao Senado, virando sugestão legislativa. Porém, apesar do esforço de muitas pessoas para tornar o funk crime, o senador responsável pela avaliação do caso já garantiu que vai rejeitar a proposta.

Grandes nomes do funk como #Anitta estão fazendo um enorme sucesso no Brasil, porém o seu trabalho não é amado por muitos brasileiros, sendo que alguns são capazes de quase tudo para eliminar artistas funkeiros.

Publicidade
Publicidade

Foi precisamente isso que aconteceu com Marcelo Alonso, um empresário que considera que o funk apenas serve para organizar grupo de criminosos.

“Os bailes são somente um recrutamento organizado nas redes sociais por e para atender criminosos, estupradores e pedófilos a prática de crime contra a criança e o menor adolescentes”, garantiu de forma muito clara o empresário paulista na sua proposta. Como informa o site “Poder 360”, essa ideia, apresentada em forma de textos com todos os motivos para o funk se tornar crime nacional, foi encaminhada para a relatoria de Cidinho Santos (PR-MT), na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa da Casa.

Apesar de já se saber que essa tentativa não vai dar em nada, a verdade é que muitos brasileiros, através das redes sociais, continuam demonstrando uma enorme vontade de tornar o funk cada vez mais irrelevante no Brasil, fazendo de tudo para conseguir promover outros estilos de música que essas pessoas consideram ter bastante mais qualidade artística do que a grande maioria dos cantores e cantoras funkeiras.

Quanto a Anitta, a verdade é que a artista não parece estar muito preocupada com todas essas polêmicas envolvendo o seu trabalho, estando agora completamente concentrada na sua carreira internacional, tendo, muito recentemente, feito grandes parcerias musicais com Mel C, ex-Spice Girl, e até Iggy Azalea, uma das cantoras com mais visibilidade do mundo. O que acharam dessa proposta que conseguiu convencer tanta gente? Você também acha que o funk deveria ser criminalizado? Deixe sua opinião na caixinha de comentários embaixo.

Publicidade

#Senado Federal