O #general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, ex-comandante na Amazônia e das tropas militares no Haiti, é uma das vozes mais respeitadas dentro do meio militar. Ele deu um discurso com duras críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (#STF) por estarem soltando os presos da Operação Lava Jato. "Vocês estão causando uma grande mal ao País", disse ele.

De acordo com o general, os ministros da Corte Suprema estão tendo atitudes que os afastam da consciência nacional. Ele sugeriu que os ministros façam uma pesquisa para saberem o que as pessoas honestas e trabalhadoras estão pensando deles. "Para a população brasileira vocês fingem votar dentro do caráter jurídico, mas votam por desavenças sociais e convicções ideológicas", comentou o general.

Publicidade
Publicidade

Segundo Heleno, o povo está vivendo uma grande insegurança jurídica decorrente da grave corrupção e criminalidade. As pessoas estão descontentes com aqueles que deveriam trazer a resolução dos problemas contra a impunidade.

"Com esse Tribunal, o Brasil não vai sair do buraco. A democracia corre sério risco", ressaltou o general.

Augusto Heleno terminou o seu discurso dizendo que espera humildade nos ministros. "Desejo que eles desçam do pedestal e coloquem o Brasil acima de tudo".

O voto de Mendes

O ministro Gilmar Mendes é um dos mais criticados por favorecer a liberdade do ex-ministro José Dirceu. Ele foi o voto de desempate. Nesta quarta-feira (03), ele classificou seu voto como "histórico".

O ministro evitou de comentar sobre as críticas de incoerência feitas pelo procurador Deltan Dallagnol depois da votação.

Publicidade

Deltan não concordou com a soltura de Dirceu e disse que ele é um risco à sociedade. O procurador também junto fatos onde o STF julgou casos parecidos e manteve a prisão dos condenados. Eles não entenderam porque Dirceu foi tratado diferente.

Determinação

O juiz federal Sérgio Moro determinou, nesta quarta (03), que Dirceu passará a usar tornozeleira mecânica e que não saia da região de Vinhedo sem autorização da Justiça.

No despacho, Moro decidiu pelo não recolhimento domiciliar a Dirceu para que o seu tempo de prisão não vá diminuindo sem que ele cumpra regime fechado.

Moro ainda determinou que o ex-ministro não tivesse nenhum contato com os envolvidos na Operação Lava Jato. O ex-ministro não poderá sair do país. Qualquer ato dele terá que ser informado à Justiça.

As pessoas, pelas redes sociais, demonstram ódio pelo STF após os ministros estarem libertando os presos condenados por Moro.