O novo programa de Pedro Bial, incluído na programação da Rede #Globo, é chamado de 'Conversa com Bial' e estreou no último dia 2. O programa tem formato de talk-show e a ideia da emissora é realizar conversas inteligentes sobre pautas interessantes e que estejam em voga.

No primeiro programa, foram convidadas a Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministra Cármen Lúcia e a atriz da emissora, Fernanda Torres. Durante o programa, foram debatidos temas como corrupção, #Política, Lava Jato e outros.

Ocorre que o deputado Jair Bolsonaro foi mencionado pela atriz Fernanda Torres em tom jocoso e respondeu o recado.

Bolsonaro foi mencionado

Com o deslinde do talk-show, Fernanda Torres, ao falar sobre política, mencionou que uma vez conversou com dois motoristas, os quais disseram que votariam no Deputado Jair Bolsonaro (PSC), para Presidente da República, caso ele se candidatasse.

Publicidade
Publicidade

Aparentemente irresignada, Fernanda disse ter questionado os motoristas sobre o motivo de escolherem Bolsonaro e recebeu a resposta de que a família deles estaria 'revoltada' porque eles não podiam andar armados na rua, pois se pudessem 'matariam todos os bandidos' que estão por aí. Fernanda ironizou, por fim, alegando que muitas pessoas desconhecem o 'nível de civilidade' que se encontra Brasil afora.

Ministra Cármen Lúcia rebate

Segundo Cármen Lúcia, é compreensível a opinião das pessoas que foram questionadas por Fernanda Torres, pois, para ela, as pessoas têm o direito de andar livremente pelas ruas sem temer. Cármen Lúcia foi enfática ao asseverar que também gostaria de 'dormir e viver em paz', como o restante das pessoas gostariam.

A Ministra do STF salientou que no Rio de Janeiro e em outros lugares as pessoas tem medo de dormir e não saber o que vai acontecer durante o sono da madrugada e que todo mundo deveria ter paz e sossego.

Publicidade

Bolsonaro elogia a Ministra do STF

Em manifestação, #Jair Bolsonaro parabenizou a Ministra Cármen Lúcia por seu posicionamento e disse que, realmente, hoje em dia, as pessoas sequer conseguem dormir em paz em suas casas e, por isso, defende a posse de armas de fogo pela população.

Segundo as palavras de Bolsonaro, munidas de armas de fogo, as pessoas poderão dormir tranquilamente em suas casas. Acrescentou, ainda, que se 'depender dele', as armas de fogo serão um direito do cidadão brasileiro.

Veja o vídeo de Bolsonaro:

Último referendo sobre armamentos

Embora Bolsonaro tenha dado a entender que é fácil instituir a posse lícita de armas no Brasil, essa não é uma tarefa fácil e também não dependerá dele, mesmo que vença as eleições para a Presidência.

A lei que vedou a posse de armas foi sancionada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 1997, e vigora até hoje.

Ulteriormente, no ano de 2003, o Congresso voltou a votar o Estatuto do Desarmamento, que enfrentou grande oposição por parte de bancada que apoiava o uso de armas da população.

Publicidade

Por isso, um referendo foi feito para consultar a população sobre o tema, realizado em 23 de outubro de 2005, tendo a população sido contrária (votado NÃO) a uma mudança legislativa proposta na época, que pretendia proibir a liberação da venda de armas de fogo no país.

Não 59.109.265 - 63,94% e Sim 33.333.045 - 36,06%

Reveja notícia da Rede Globo sobre o resultado do referendo na época da votação: