O procurador regional da República, Carlos Fernando dos Santos Lima, lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (#STF) em soltar o ex-ministro José Dirceu. Lima foi um dos autores do pedido de prisão de José Dirceu, em 2015. "Torço para que ele volte logo para a prisão", disse ele.

Nesta terça-feira (02), o STF decidiu por 3 votos a 2 revogar a prisão preventiva de José Dirceu. Foi o mais doloroso golpe dado contra a Operação #Lava Jato. Os ministros que votaram a favor do petista são: Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Apenas Edson Fachin e o decano Celso de Mello foram contrários à liberdade do ex-ministro.

Publicidade
Publicidade

O procurador Carlos Lima desabafou em tom de tristeza: "Estão destruindo lentamente uma investigação séria. Eu imagino que eles não estão vendo mais o povo atento com as irregularidades. Para eles a população pode estar anestesiada pela extensa corrupção", disse o procurador.

MPF

Nesta manhã (02), o Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma terceira denúncia contra José Dirceu. De acordo com o promotor, essa denúncia foi apenas um alerta para mostrar que Dirceu deve continuar preso. "É uma pena que tenham ignorado essa denúncia", disse Lima. "Não tínhamos a ideia de constranger o STF, apenas trazer fatos novos para eles pensarem bem antes de concluírem suas decisões".

O procurador Deltan Dallagnol afirmou que o ex-ministro é um risco para a sociedade. Mesmo preso, ele continuou participando de organizações criminosas, levando todo o dinheiro da Petrobrás.

Publicidade

Imagine ele solto. Ele ocultará provas e pode manter repasses de propinas.

Decisão do STF

Os investigadores não entendem a decisão do STF, já que o juiz Sérgio Moro provou que Dirceu mantinha esquemas de corrupção da cadeia. Seria uma nova postura da Corte em relação a prisões preventivas?.

Passam os dias e a Corte vai soltando os presos da Lava Jato. Quatro já estão livres, três deles presos por determinação de Moro e o outro pelo juiz Marcelo Bretas.

José Carlos Bumlai, amigos do ex-presidente Lula, foi um dos que teve benefícios para estar em prisão domiciliar. Junto com ele também foi solto o ex-assessor do PP, José Claudio Genu. O empresário Eike Batista também está livre das grades.

O ministro Gilmar Mendes comentou, em fevereiro deste ano, que não concordava com as prisões da Lava Jato, pois eram alongadas demais.

Após a decisão de hoje, em soltar Dirceu, o STF pode ter "ressuscitado" no povo o ódio contra a corrupção. O povo pode voltar às ruas!.