O presidente Michel #Temer já reagiu, durante sua reunião com ministros, ao áudio que está fazendo com que muitos brasileiros, mas também deputados, peçam imediatamente o seu #Impeachment. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, na reunião, e depois de ter cancelado todos os seus compromissos parlamentares, o presidente confessou diversas vezes que pretendia ver a fita, revelando muita estranheza por ter sido novamente gravado por um delator.

Nesse sua conversa com seus aliados, Temer também teria confirmado que de fato existiu essa conversa sobre #Eduardo Cunha, mas que na altura pensou que o pagamento seria um “ato de solidariedade”.

Publicidade
Publicidade

Foi de forma completamente inesperada que um áudio, revelado pelo jornal “O Globo” na noite desta quarta-feira (17), fez com o Brasil pensasse novamente na destituição do seu presidente da República, depois de Dilma Rousseff, há cerca de um ano, também ter sido afastada do seu cargo devido às suas alegadas ligações a grandes esquemas de corrupção. No áudio é possível ouvir Michel Temer dando o aval para que Eduardo Cunha pudesse receber, ainda que indiretamente, uma mesada mensal para que alegadamente mantivesse o seu silêncio na prisão.

Porém, no momento dessa interação, o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, conseguiu gravar a conversa, decidindo agora, e passados dois meses, divulgar tudo e provocando um enorme impacto na política brasileira. "Renúncia, nem pensar", teria prometido de forma clara e várias vezes Michel Temer no seu gabinete, durante uma reunião com alguns dos seus ministros, possivelmente revelando o que pretende fazer agora que muita gente está pedindo o seu impeachment.

Publicidade

Como garante o site “Notícias ao Minuto”, um dos presentes nessa reunião, nesta quarta-feira à noite (17), garantiu que Temer sempre viu aquele pagamento como “solidariedade” e uma forma de “auxílio” a Eduardo Cunha.

Nas redes sociais, a maioria dos brasileiros não acredita que Temer esteja falando a verdade, garantindo que ele sabia de todos os subornos que estavam acontecendo para que vários interessados no silêncio de Eduardo Cunha fizesse de tudo para que o político pudesse estar contente na prisão. Resta agora aguardar pelo pronunciamento oficial do próprio Michel Temer que, após ter cancelado todos os seus compromissos, provavelmente esteve pensando como conseguiria justificar à frente de milhões de brasileiros o conteúdo comprometedor desses áudios.