A Federação Nacional dos Policiais Federais publicou uma nota, nesta quinta-feira (11), dizendo que irá entrar com um processo contra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. Na visão dos policiais federais, Lula teve uma insinuação errada que causou ofensa aos agentes. Quando Moro mostrou ao petista um documento, durante a audiência, o ex-presidente disse que agentes federais teriam "plantado provas em seu apartamento".

De acordo com o presidente da entidade, Luís Boudens, atribuir culpa à polícia de ter inserido no local de buscas provas é uma grande afronta contra a #Polícia Federal. Segundo a Federação, as declarações do petista foram feitas diante de um processo onde ele é o réu pelo recebimento indevido de propina da construtora OAS.

Publicidade
Publicidade

O valor chega a R$ 3,7 milhões.

O documento, que foi colhido dentro do apartamento do petista, em São Bernardo do Campo, foi apresentado pelo juiz e não tinha assinatura. Diante disso Lula insinuou que agentes federais colocaram o documento lá para tentar incriminá-lo de alguma forma. A Federação Nacional dos Policias Federais afirmou que entrará com um processo por "denunciação caluniosa".

Reação

O documento apreendido pela PF, foi encontrado no dia 04 de março do ano passado, na Operação Aletheia, que seria um desdobramento da #Lava Jato. Nesse mesmo dia, o ex-presidente foi levado coercitivamente para depor à Justiça.

Quando Moro apresentou o documento para Lula, dava pra ver no semblante do petista um pouco de preocupação. Na verdade, o juiz pode ter pego ele de surpresa. A reação do líder do PT foi rápida, mas não ensaiada.

Publicidade

Segundo Boudens, é inadmissível o ex-presidente tratar os agentes federais dessa forma.

"A fala de Lula vai gerar consequências", declara a entidade. O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais afirmou que o petista afrontou a Polícia Federal, coisa que antes não havia acontecido no âmbito da Operação Lava Jato.

Curiosidade

O líder do PT, embora não tenha se recusado a responder as perguntas do juiz, por 82 vezes disse "não sei". Por seis vezes o ex-presidente disse "não lembro" e citou por 36 vezes o nome de sua mulher falecida Marisa.

De acordo com o depoimento, Lula comentou que sua esposa pretendia comprar o triplex para possíveis investimentos. Por várias vezes, Lula disse que não sabia sobre as ações de dona Marisa. Ele revelou que não tinha conhecimento do pagamento de uma cota, por parte dela, para a participação na Bancoop.