Jair Bolsonaro se superou mais uma vez em um evento ocorrido no Estado do Paraná, na cidade de Maringá, e admitiu, em evento público, que '#Rouba'. Leia o artigo até o final e saiba mais.

Evento com 'milicos'

O deputado Federal Jair Bolsonaro (PSC) sempre tenta sair "bem na foto". Em evento ocorrido hoje (26), o deputado e seu filho, Eduardo Bolsonaro, decidiram entrar na "alma militar" e "pagaram flexões"conjuntamente com dezenas de policiais militares.

Entre as expressões corporativistas dos militares está a "pagar 10", que geralmente é formulada por algum oficial quando um recruta comete algum erro e exige que este "pague dez flexões" ou "dez abdominais".

Publicidade
Publicidade

Bolsonaro admite que 'rouba'

Durante o exercício coletivo, enquanto todos os militares parecem estar bem empenhados na realização das flexões, o deputado Bolsonaro acaba agindo de maneira curiosa. Para de um lado, se contorce do outro e só finge estar fazendo o exercício, enquanto os demais militares continuam praticando.

Veja o vídeo até o final:

Ao final do vídeo, Bolsonaro diz: "a única coisa onde eu estou roubando um pouquinho é na flexão, hein!?". Depois disso, a "plateia castrense" dá muitas risadas e apoia o político.

O post com o vídeo foi publicado por Eduardo Bolsonaro (veja na galeria de fotos).

Discurso em Maringá

O político chegou à Maringá na manhã desta sexta-feira (26) e cumpriu uma enorme agenda de compromissos. Possível candidato à presidência da República nas eleições de 2018, #Jair Bolsonaro apresentou propostas que considera prioridades para melhorar o futuro do Brasil.

Publicidade

O político subiu nas pesquisas e, em um cenário competindo com Lula e Marina Silva, perderia para Lula (ficando em segundo lugar) e ganharia de Marina.

A projeção de Bolsonaro tem sido tão grande que ele até tem inúmeros fãs e apoiadores, os quais o seguem e até ajudam a cuidar da sua agenda política, a fim de propagar os entendimentos de extrema direita que o político costuma exarar por aí.

Um grupo denominado "Patriotas do Brasil" chegou a organizar grupos para acompanhamento da agenda do deputado Federal, que é um homem extremamente polêmico em suas considerações, especialmente em face de minorias, como homossexuais, índios, negros e esquerdistas.

Amado por muitos, odiados por vários outros tantos, Bolsonaro é uma figura política que remete à expressão "ame-o ou deixe-o".

Você acha que Bolsonaro seria um bom presidente da República Federativa do Brasil? Comente a sua opinião.