Após o escândalo do vazamento do áudio de Michel Temer, há uma grande pressão popular para que o atual presidente deixe o poder. Ele já anunciou que não renunciará e, agora, a solução seria um processo de Impeachment bem acelerado para que ele se retire do comando o quanto antes. Os partidos de esquerda e, inclusive, o #PT, apoiam eleições diretas.

Os partidos de esquerda já vem conversando sobre apoiar um novo #candidato em caso de eleições indiretas, em que deputados e senadores irão escolher um novo Chefe de Governo e Estado até que se convoque novas eleições no ano de 2018. O ex-presidente #Lula seria o candidato do PT em caso de eleições diretas, pois possui uma enorme popularidade.

Publicidade
Publicidade

Lula já se manifestou sobre o que o partido deve fazer em caso de indiretas.

Opinião de Lula sobre um candidato

Lula disse que o seu partido não pode apoiar um candidato que dê prosseguimento às reformas iniciadas no governo de Michel Temer e também disse que o PT não pode ter um papel secundário nesse processo, apenas endossando um candidato que dê seguimento à agenda defendida pelo Temer. O ex-presidente afirmou que, para sair da crise, todos os partidos tem que chegar a um acordo sobre uma saída mais viável.

Há uma grande discussão dentro do partido sobre isso, afinal, oficialmente, o PT apoia as eleições diretas. Para isso acontecer, no entanto, deveria ser aprovado uma PEC para uma emeda na constituição. Como é bem improvável, o partido vem se preparando para as eleições indiretas.

Publicidade

O deputado Paulo Teixeira defende um boicote às eleições indiretas.

Afirmações aconteceram em encontro fechado

Essas afirmações foram feitas em um encontro fechado do partido com juristas, nesta quinta-feira (24). em um hotel de São Paulo, onde o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, opinou sobre o que deveria ser feito pelo PT nessa nova crise política que o Brasil está vivendo.

O Lula já afirmou, diversas vezes, que deseja voltar ao poder, mas sabe que isso não poderá acontecer por meio de eleições indiretas. Ele aposta em 2018, pois mesmo sendo réu em cinco casos, mantém sua popularidade alta e ocupa o primeiro lugar em todas pesquisas feitas para presidenciáveis, Quem aparece em segundo como a maior ameaça é o maior opositor da esquerda, Jair Messias Bolsonaro.