Por meio de sua defesa, o ex-presidente #Lula recorreu a uma ordem do ministro Fachin e isso pode prejudicar a investigação do juiz Sérgio Moro. A ordem era que a parte da delação da JBS que cita o Luiz Inácio Lula da Silva fosse enviada para o juiz federal Sérgio Moro.

Agora, após a protocolação do recurso de agravo regimental que aconteceu na segunda-feria, 29 de maio, os documentos não poderão ser enviados para base da operação Lava Jato, onde atua o Sérgio Moro. A defesa de Lula alegou que o empresário Joesley Batista citou o nome do ex-presidente duas vezes, 'genericamente' na delação.

“Demonstra ainda que tais referências referem-se a situações ocorridas em Brasília ou em São Paulo, sem nenhuma relação com a Operação Lava Jato”, afirma o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.

Publicidade
Publicidade

O advogado do petista ainda disse que o recurso prova que as referências feitas pelo empresário Joesley Batista foram sem qualquer base mínima e não apresenta envolvimento do ex-presidente na ocorrência dos fatos ou qualquer ação ilícita que tenha acontecido, e reforça que não há qualquer relação com a operação Lava Jato, da qual Sérgio Moro é o comandante, e, por isso, não teria motivos para ser entregue a ele.

O documento poderia ajudar Moro?

O juiz federal poderia encontrar em partes da delação algumas provas contra o ex-presidente Lula, mas mesmo que não obtivesse algo concreto, o que tem dentro do texto dito pelo empresário Joesley Batista pode levar a ligar outros pontos da investigação e aprofundar mais, assim descobrindo mais coisas.

Sérgio Moro pode se sentir prejudicado e recorrer ao pedido feito pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, se ele achar necessário investigar os trechos da delação do empresário dono da JBS.

Publicidade

Pode ficar por isso mesmo se o o juiz federal concordar com o advogado do petista e afirmar que aquelas partes não são necessárias para investigação da Lava Jato.

Confronto de Lula e Moro

O juiz federal nega qualquer tipo de confronto pessoal com o ex-presidente Lula, até porque isso é totalmente errado para juízes, que têm de julgar conforme a lei ordena e não a favor de sua vontade pessoal, mas Lula afirma que Sérgio Moro tem uma batalha pessoal contra ele e, por isso, ele afirma ser perseguido nas investigações.

Até o momento, o ex-presidente é réu em 5 processos e pode vir a ter um sexto, em breve. O mais avançado deles é o caso do tríplex, que já está quase tendo o julgamento final. #SérgioMoro #Lava-Jato