O conteúdo dos acordos de colaboração premiada entre os ex-marqueteiros petistas, João Santana e Mônica Moura, vem levantando polêmica, a partir do conhecimento público dos depoimentos daqueles que foram responsáveis pelas últimas campanhas presidenciais petistas que ocasionaram a eleição e reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff. Durante o depoimento prestado à força-tarefa da Operação Lava Jato, a delatora e ex-publicitária Mônica Moura, afirmou que a ex-presidente Dilma, "escanteou totalmente o PT", durante a campanha presidencial de 2014.

'Estremecimento' de relações entre ex-presidentes

De acordo com o depoimento prestado aos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, Mônica Moura foi enfática ao afirmar que houve momentos de "tensão" no relacionamento entre o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva e a ex-presidente #Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Além de Dilma ter se afastado, de certo modo, das decisões do PT, colocando em "escanteio", um dos principais motivos, senão o principal, que acarretou um certo distanciamento entre Lula e Dilma, refere-se ao anseio da então presidente em se candidatar à reeleição, em busca de um novo mandato presidencial, em detrimento da vontade do ex-presidente Lula, que durante aquele período, almejava que ele próprio, fosse o candidato escolhido pelo Partido dos Trabalhadores (PT), para que pudesse concorrer a um terceiro mandato presidencial.

Essa divergência entre Lula e Dilma, acarretou "atrito" entre ambos, que, segundo a delatora Mônica Moura, acabou até mesmo, sendo visível: "alguns jornais já veiculavam isso, embora os dois sempre negassem o ocorrido, era verdade", ressaltou a ex-publicitária.

Publicidade

A ex-marqueteira foi ainda mais longe ao afirmar que "Lula queria ser o candidato e Dilma não aceitou, pois, era a reeleição dela e ela sentia-se forte", afirmou, de modo categórico, Mônica Moura. As informações prestadas por Mônica Moura, esposa do ex-publicitário João Santana, fazem parte de um acordo de colaboração premiada , celebrado junto à Polícia Federal e Ministério Público Federal, cuja delação acabou sendo homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Entretanto, a ex-marqueteira sinalizou que "essa era a conversa entre Dilma e seu esposo, João Santana, já que a mesma nunca havia falado sobre isso com a ex-presidente, salientando que João sempre vinha para contá-la, que Lula queria mesmo ser candidato a presidente em 2014". #Eleições