Nesta quarta-feira (24), o juiz federal Sérgio #Moro e o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin, voltaram a ter discussões sobre os depoimentos realizados. Foram ouvidos o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e o ex-gerente executivo da estatal petrolífera, Pedro Barusco.

A confusão começou quando o advogado do petista fez perguntas sobre um possível acordo entre os delatores e as autoridades dos Estados Unidos. Os advogados de Barusco e de Costa disseram ao juiz que essas questões estavam fora da pauta do processo. Moro concordou e indeferiu as perguntas feitas por Cristiano Zanin.

Publicidade
Publicidade

Segundo o magistrado, essas questões do acordo não cabem nesse julgamento e pediu para que o advogado de #Lula continuasse com outras indagações.

Zanin se irritou e disse que essas perguntas deveriam ser colocadas em questão para não prejudicar a defesa.

Moro continuou, perguntando se o advogado teria alguma outra pergunta à testemunha. Zanin voltou ao mesmo assunto e foi interrompido pelo juiz. "Está indeferida também esta questão", disse o juiz paranaense. O advogado de Lula retrucou: "Vossa excelência está indeferindo esta questão antes de ouvir?".

O magistrado afirmou que já havia dito que se fossem questões sobre essas tratativas, todas seriam indeferidas.

Discussão

A #discussão se tornou mais "calorosa". Zanin criticou Moro dizendo que ele estava desrespeitando a defesa do ex-presidente.

Publicidade

Moro ressaltou que todos estavam perdendo tempo com essas perguntas que já foram indeferidas. O juiz comentou que se o advogado quisesse protocolar um documento com as perguntas, não teria nenhum problema.

Investigação

Os dois delatores confirmaram o que haviam falado no depoimento anterior. Lula é investigado sobre melhorias num triplex da cidade de Guarujá, litoral de São Paulo. Nesta denúncia, ele é acusado de receber propina da Odebrecht para a compra de um terreno onde ficaria a nova sede do Instituto Lula.

Os advogados do ex-presidente divulgaram uma nota após o término do depoimento, repudiando a atitude de Sérgio Moro de impedir algumas questões que, para eles, eram relevantes no processo. Zanin queria saber sobre possíveis participações do Ministério Público Federal (MPF) e da Petrobras com colaboração em negociações no exterior.

Sérgio Moro ainda vai ouvir várias testemunhas que foram arroladas pela defesa do ex-presidente.