Após o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro, na quarta-feira (10), sobre a aquisição e reforma de um tríplex, na cidade de Guarujá, Litoral de São Paulo, um loja famosa resolveu polemizar o discurso. Conforme insinuações do petista de que o interesse da compra do tríplex era de sua esposa, dona Marisa Letícia, a rede de lojas famosa criou um slogan.

Pelo Instagram, a #Lojas Marisa divulgou uma campanha publicitária brincando com o depoimento de #Lula. Numa imagem, a loja cita a seguinte frase: "Se sua mãe ficar sem presente, a culpa não é da Marisa". Essa mensagem foi usada pela rede a fim de divulgar descontos para o Dia das Mães, que será neste domingo (14).

Publicidade
Publicidade

Veja a propaganda.

Depoimento

O ex-presidente ficou quase cinco horas dando explicações para #Moro sobre as acusações feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) de corrupção por parte do ex-presidente. De acordo com Lula, nunca houve a intenção, por parte dele, de adquirir o tríplex. O que causou um pouco de estranheza nas afirmações de Lula é que ele disse não saber sobre uma segunda visita de sua falecida esposa ao condomínio. Lula afirmou que ela nunca falava todas as coisas para ele.

Algumas pessoas criticaram o fato do petista alegar que não sabia das ações de sua esposa. O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima acharam um absurdo Lula "culpar" dona Marisa, já que ela faleceu e não tem como se defender.

Alguns internautas consideram que a mensagem da Lojas Marisa foi uma humilhação para o ex-presidente.

Publicidade

A repercussão da imagem da propaganda da loja teve grande repercussão e pode ter sido considerada negativa para o petista.

Ex-primeira dama

A ex-primeira dama foi citada em ao menos 21 trechos da fala do ex-presidente. Ela faleceu no início do ano em decorrência de um acidente vasculhar cerebral (AVC).

Moro e o MPF questionaram várias vezes Lula sobre a aquisição do tríplex. O ex-presidente citou a todo momento a sua esposa, inclusive espontaneamente.

Lula confirmou que sua mulher havia adquirido uma cota de participação da cooperativa Bancoop, que era a responsável pela construção do prédio. Posteriormente a obra foi assumida pela construtora OAS, que teria destinado ao tríplex ao ex-presidente como pagamento de propina, segundo o Ministério Público Federal.

Porém, o petista disse que não acompanhou o processo, pois não havia interesse, por parte dele, de morar lá, já que ele admitiu ver mais de “500 defeitos”.

Na visão de Lula, sua esposa queria o apartamento apenas para investimentos, pois ela não gostava de praia. Ele negou qualquer irregularidade no negócio, que acabou não sendo fechado.