Em um discurso realizado durante o sexto congresso nacional do PT, o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, acabou sendo irônico em relação às investigações que o circundam, como por exemplo, no âmbito da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal.

A Lava-Jato é uma das principais, senão, a maior operação de combate a crimes relacionados à #Corrupção já deflagrada no Brasil e é conduzida em primeiro grau, pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, capital do Paraná.

Suposta 'ameaça de Lula a procuradores

O evento realizado pelo PT, no seu sexto congresso, pode acabar ocasionando problemas ao ex-presidente da República.

Publicidade
Publicidade

Utilizando-se de um tom considerado por muitos, carregado de "ironias", acabou se referindo a investigadores federais ou mesmo integrantes da força-tarefa da Lava-Jato, de modo pejorativo. De acordo com Lula, ao se dirigir para a plateia petista, disse que "se não o prenderem logo, ele poderia mandar predê-los", provocando risos entre os presentes. As críticas do ex-presidente também tiveram como alvo, a própria imprensa, que segundo petista, "já faziam dois anos em que ele estava ouvindo sobre isso", em se tratando de seus processos na Justiça.Entretanto, na noite do último sábado (06), a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), lamentou profundamente as afirmações dadas por Lula, ironizando ou mesmo criticando a força-tarefa de investigação da Operação Lava-Jato. Em uma nota divulgada pelo presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, a frase proferida por Lula, em se tratando de um tom de "ameaça", "não é digna" de alguém que já tivesse sido presidente da República.

Publicidade

José Robalinho foi contundente ao afirmar que "somente lamentava a frase colocada em um tom de ameaça, ao ser de alguém que se supõe legitimamente eleito presidente, mais de uma vez", ressaltou. O procurador foi ainda mais longe ao assegurar que "isto não irá deter qualquer investigação de agente do Estado, nem mesmo deter a macha serena e impessoal da Justiça brasileira, sendo algo que não é digno de quem já foi presidente do Brasil por oito anos", relatou o procurador em nota. O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti, deixou ainda bem claro que "o ex-presidente Lula sabe muito bem que os chefes do Poder Executivo não possuem a prerrogativa de mandar prender ninguém em um estado de direito", afirmou. #Lava Jato