A filha de #Silvio Santos, Patrícia Abravanel, teve seu nome citado na delação premiada de Ricardo Saud, braço direito de Joesley Batista, sócio da empresa JBS. Em um dos vídeos que está circulando na mídia nesta sexta-feira (19), Ricardo Saud deixa claro que Patrícia Abravanel participou de um jantar, acompanhada de seu atual marido, o deputado federal Fábio Faria, cujo objetivo era negociar pagamento de #Propina.

A propina que estaria sendo negociada seria para a campanha de Robinson Faria, pai do marido de Patrícia. No vídeo da delação, não ficou explícito se Fábio também estaria arrecadando propina para sua campanha.

O delator Ricardo Saud é até irônico ao dizer que o jantar foi de muito bom gosto, já que todos estavam acompanhados de suas esposas para tratar exclusivamente de dinheiro ilegal.

Publicidade
Publicidade

Robinson Faria é o atual governador do Estado do Rio Grande do Norte.

O SBT foi procurado para prestar esclarecimentos sobre o fato ocorrido com uma das herdeiras da emissora. Enfaticamente, a produção disse que não comenta assuntos pessoais de seus funcionários. Jornalistas também tentaram entrar em contato com Robinson Faria, Fábio Faria e Patrícia Abravanel, porém, não foi possível a comunicação com nenhum deles.

Fundos para campanha

Em busca de arrecadar fundos para campanha eleitoral, os políticos teriam então que conceder o domínio de água e esgoto do estado do Rio Grande do Norte para a JBS. Ricardo Saud disse que haviam feito um estudo sobre empresas de água e esgoto que estariam falindo e que tinham o objetivo de comprá-las. O jantar serviu para firmar esse acordo, uma troca feita entre os dois lados.

Publicidade

Saud revelou que o pagamento de dinheiro foi feito em notas dissimuladas, que chegariam em 10 milhões, sem especificar se o dinheiro era em real ou não.

O marido de Patrícia também teria dito para o delator que eles poderiam assumir todo o governo, mas para isso a família Faria teria que estar com as eleições ganhas, consequentemente, precisariam de dinheiro.

Ricardo Saud disse que, mesmo pagando propina para os políticos, o grupo empresarial não assumiu a água e esgoto do estado, o que fez com que perdessem muito dinheiro em benefício aos políticos.

A delação premiada de Ricardo Saud compromete vários políticos. O delator já afirmou que até mesmo o presidente da República, Michel Temer, teria recebido a quantia de R$ 15 milhões do Partido dos Trabalhadores para que a campanha eleitoral de vice-presidente fosse financiada. Conforme as delações são reveladas, a cúpula do governo e diversos políticos são vistos em atos ilegais. #Corrupção