O #PSB decidiu se afastar da base do governo #Temer. Em nota divulgada na tarde deste sábado, o partido, que tem a sexta maior bancada do Congresso Nacional, oficializou o desembarque do governo e a partir de agora, portanto, fará oposição.

A saída ocorre no terceiro dia da grave crise política motivada pelo vazamento do áudio de uma conversa entre Temer e Joesley Batista, dono da JBS, que acusa o presidente de ter dado o aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados e cassado por corrupção.

Com a decisão do PSB, o Planalto sofre uma importante perda, já que perde o apoio de 7% dos votos no Legislativo.

Publicidade
Publicidade

O PSB já recomenda a saída de Temer "o mais rápido possível". Em novo pronunciamento, realizado na tarde deste sábado, o peemedebista voltou a garantir que não vai renunciar.

"O povo mais uma vez precisará entrar em cena, porque essa crise está muito grande. Não é apenas do presidente, é do sistema político como um todo. Esse sistema precisa ser renovado dentro de um processo eleitoral", pregou Carlos Siqueira, presidente do PSB, que também foi um forte aliado durante os anos de governo de Dilma Rousseff, destituída no processo de impeachment em 2016.