Dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), entende que Michel Temer já não reúne mais condições de seguir na presidência da República depois da delação feita por Joesley Batista, um dos donos da JBS.

Na avaliação de Steiner, #Temer deveria ter denunciado Batista quando este, durante a conversa realizada em março, admitiu que havia corrompido algumas autoridades para benefício de sua empresa em investigações. Pelo que as gravações indicaram, o presidente "deu de ombros" para essas declarações.

"Se chega alguém dizendo que está subornando o Ministério Público e algum juiz, não é possível que o chefe do Executivo não faça alguma coisa", criticou Steiner.

Publicidade
Publicidade

A CNBB, principal órgão ligado à Igreja Católica no Brasil, tem forte atuação política e fez resistência à ditadura militar entre 1964 e 1985. A Confederação tem se mostrado contra o governo Temer, em especial contra algumas reformas propostas pela atual gestão, especialmente o projeto de reforma da Previdência.

Em um cenário de possível saída de Temer do governo, Steiner avalia que o melhor a se fazer seriam eleições diretas, não indiretas, pela importância do diálogo com a sociedade.