O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), atual líder da bancada peemedebista no Senado Federal, tomou um enquadro de outros senadores do seu partido na última quarta-feira (3). Durante boa parte do dia, cerca de 12 horas e duas reuniões, ficou a dúvida no ar se Calheiros permaneceria no cargo de líder de bancada, pois outros peemedebistas, insatisfeitos com sua postura opositora a Temer, articulavam sua deposição.

Após o dia conturbado, ficou definido que Renan iria permanecer à frente da bancada do PMDB no Senado, porém, sem antes ter tomado uma enquadrada dos correligionários.

Circula nos corredores que opositores a Renan já possuem o número de assinaturas mínima, 12, da bancada para destituir o senador caso ele mantenha essa postura.

Publicidade
Publicidade

Aproximação

Curiosamente, no mesmo dia que sofreu uma prensa por parte dos senadores do PMDB, parlamentares petistas resolveram lhe fazer um afago por sua postura combativa contra às reformas de Michel Temer. Após duras horas de reunião com centrais sindicais e senadores de oposição, Calheiros foi chamado de "o cara" pelo senador petista Paulo Paim (RS) e recebeu um agradecimento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), líder da bancada do Partido dos Trabalhadores no Senado Federal. #Dentro da política