Diante do cenário político caótico instalado no Brasil neste momento, sem sombra de dúvidas, alguns podem afirmar que o relacionamento íntimo entre religião e política não produz os melhores frutos, isso apesar da Constituição do país assegurar que o Estado deveria ser laico, ou seja, a religião de forma geral não deveria se intrometer ou influenciar diretamente o rumo na tomada de decisões consideradas de segurança nacional ou vital à nação.

Entretanto, é justamente o contrário do que vem acontecendo; tanto é assim, que o controverso pastor protestante, #Silas Malafaia deixa seus afazeres religiosos para se manifestar nas redes sociais sobre o cenário político complicado que impera em todo o território nacional, basicamente depois que o empresário, dono da Friboi, Joesley Batista, revelou os incentivos à corrupção por parte do presidente Michel Temer.

Malafaia, que é o dirigente de maior destaque da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, fez questão de registrar um vídeo sobre o tema político recorrente, redigindo inúmeros tweets acerca do assunto, sendo que o mesmo fala com veemência nesses seus discursos, apesar do que o mesmo deveria pregar a temperança como “homem de Deus” em prol do equilíbrio da nação e melhorias para o povo comum.

Publicidade
Publicidade

O pastor disse que faltou transparência ao senador mineiro Aécio Neves, tudo porque esse último insistiu na mentira de que os 2 milhões conseguidos foram através de um empréstimo feito, apesar da PF – Polícia Federal comprovar com gravações e vídeos, de que a soma foi obtida com prática de propina junto a #JBS.

Em seguida, Malafaia indagou a postura adotada por #Michel Temer, diante do mar de acusações, dizendo que “é renúncia ou impeachment”. Dessa vez, o pastor fez um movimento contrário não querendo se encontrar com o presidente da República, pois cancelou a agenda que ambos tinham para a última quinta-feira, dia 18 de maio.

No entanto, o religioso não diminuiu as suas críticas contra os militantes e simpatizantes de esquerda no país, a quem classificou de dissimulados, cínicos e inescrupulosos.

Publicidade

Silas Malafaia ainda disse que o PT, PCdoB, PSOL e REDE “não tem moral para pedir renúncia de ninguém, por que defenderam Dilma e Lula”. O pastor defende a ideia de que depois que Temer receber o impeachment ou mesmo renunciar, todo aquele que já foi alvo de inquérito sobre ações de corrupção não poderia se candidatar às eleições diretas de 2018, fazendo uma clara referência ao ex-presidente Lula.

Malafaia se explicou no Twitter a respeito do seu apoio explícito em tempos não muito remotos a diferentes políticos, muitos dos quais se encontram atrás das grades na atualidade por causa da Operação Lava Jato, dizendo que ele não é um homem omisso ou covarde, que ele sim tem coragem de se posicionar, podendo com isso, errar ou acertar.

Depois de se debruçar tanto nos temas políticos, Silas Malafaia fez questão de expressar que por meio do nome de “Jesus Cristo”, o país irá superar tudo de ruim que vem acontecendo e ainda pediu que os representantes da cristandade fizessem uma campanha de orações pela pátria amada.

Publicidade

Pastor Malafaia comenta e dá sugestões sobre a situação política do Brasil