Quem disse que o Brasil era, sem dúvida, o país dos #memes, acertou. Isso porque nem mesmo nossa delicada situação política pode ser narrada sem falar de memes.

Após diversos memes - imagens com frases de humor - do presidente #Michel Temer rodarem a internet, o Planalto resolveu vetar o uso das imagens oficiais do presidente em memes, a menos que estas tenham os devidos créditos. Diversos blogueiros e celebridades da web foram notificados por memes que utilizavam as imagens sem créditos.

Esta decisão está baseada no artigo 24, da Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), que estabelece que o fotógrafo tem o direito de ter seu nome ou pseudônimo indicado no uso de suas fotografias.

Publicidade
Publicidade

Portanto, do ponto de vista legal, a decisão do Planalto está correta.

Mesmo assim, o assunto foi um dos tópicos mais comentados no dia de hoje (25) na internet. Páginas de humor como a Ah Negão! e a Capinaremos teriam sido notificadas por e-mail, que cobrava os créditos nas fotografias utilizadas.

Para agitar ainda mais a internet, o PT resolveu participar da polêmica ao disponibilizar, em seu site oficial, um Flickr contendo várias fotos de Michel Temer para serem usadas na criação de memes sobre o ''presidente golpista', conforme o texto do partido em sua página no Facebook.

Publicidade

Cerca de 400 fotos de Temer estão organizadas em uma pasta especial no Flicker divulgado pelo PT. O texto do partido afirma que o uso das imagens está totalmente liberado, inclusive para memes.

É claro que o uso liberado das imagens deu à internet novo ânimo, para todo um novo repertório de piadas. As imagens são do fotógrafo Lula Marques e trazem Temer em vários ângulos e com várias expressões - que nem sempre favorecem o presidente.

A decisão do Planalto de proibir o uso das imagens oficiais para os memes, e as notificações feitas às páginas e pessoas que as utilizaram, foram tomadas por muitos internautas e meios de comunicação como censura.

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência nega a tentativa de censura e garante que só tal atitude foi tomada pelo Departamento de Fotografia da Secom, com o objetivo apenas de evitar a exploração comercial das imagens.

Algumas das páginas notificadas, como foi o caso da Capinaremos, usaram a própria notificação como alfinetada em novos memes:

O criador da página, Sandro Sanfelice, disse em entrevista à Folha de S. Paulo, que no primeiro momento, ficou preocupado com a notificação do Planalto. Depois divulgou uma nota em sua página dizendo que a notificação era ''confusa e obscura'' e que não vai parar de fazer piadas, e que muito embora jamais vá conseguir agradar a todos, não acha correto ficar calado frente a tudo isso. #Política