Aliados do presidente #Michel Temer decidiram enviar um documento ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que o ministro Edson Fachin se retrate sobre o envolvimento dele com executivos do frigorífico JBS. O deputado Fausto Pinato (PP-SP) liderou esse movimento de parlamentares da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

No ofício enviado, a tropa de choque de Temer quer saber sobre a ligação que Fachin tinha com o executivo Ricardo Saud. Conforme o blog do jornalista Jorge Bastos Moreno do jornal "O Globo", o próprio ministro confirmou que recebeu ajuda da JBS para convencer os senadores a aprovarem a sua entrada na Corte.

Publicidade
Publicidade

O relator da Lava Jato disse que não imaginava, na época, que a JBS estava envolvida em fraudes. O ministro ressaltou que se soubesse disso antes, jamais teria pedido ajuda para eles. A JBS tinha muitos senadores relacionados com ela e isso favoreceu a entrada de Fachin na Corte.

Os parlamentares exigem que o ministro se explique sobre todos esses fatos. A principal pergunta deles é quando e em que local ele conheceu Saud.

Gravidade do fato

Foram 15 parlamentares que assinaram o ofício. Entre eles estão também os deputados Darcísio Perondi (PMDB-RS) e Carlos Marun (PMDB-MS). No documento, eles afirmam que é de extrema gravidade o ministro ter estado andando ao lado de Ricardo Saud para pedir votos aos senadores.

Eles elaboraram cinco perguntas-chave para o ministro responder: 1) em que condições esses pedidos foram feitos? 2) Se o ministro estava por dentro, na época, dos esquemas fraudulentos desses executivos da empresa JBS e seus diretores? 3) Se o relacionamento dele com Saud pode implicar em sua conduta como ministro do tribunal? 4) Por que foi escolhido justamente Saud para acompanhá-lo nos corredores do Congresso? 5) Quando Fachin conheceu o executivo e quantas vezes esteve com ele dentro da Casa?.

Publicidade

Vingança?

#Edson Fachin tem sido um grande obstáculo para o presidente Michel Temer. Ele é relator do caso de Temer em relação às gravações que foram feitas pelo empresário e dono da JBS, Joesley Santana. Fachin já negou a Temer o arquivamento do inquérito. Ainda não se sabe se esse ofício enviado pelos parlamentares tem proposta de pressionar o ministro diante de possíveis decisões contra o peemedebista.

Temer foi vítima de uma gravação feita às escondidas. O empresário Joesley Batista, para se salvar, fez de tudo para incriminar o presidente. A defesa de Temer alega que o áudio foi editado e aguarda a análise da perícia. #STF