O amigo de longa data do presidente da República, #Michel Temer, que acompanhou diversas campanhas eleitorais e chegou até mesmo a coordenar comitês eleitorais de Temer, se tornou alvo de investigações pela Operação Lava Jato. O coronel João Baptista Lima Filho, conhecido como Doutor Lima ou então Coronel Lima, já ajudou o presidente a resolver até mesmo problemas familiares. Se tornando uma das peças principais na decisão sobre o futuro de Michel Temer, Coronel Lima apareceu em delação premiada da JBS.

O delator Ricardo Saud, diretor da J&F, declarou que no final das campanhas eleitorais do ano de 2014, teve que entregar a quantia de R$ 1 milhão em dinheiro vivo para uma empresa do Coronel Lima.

Publicidade
Publicidade

Esse valor faria parte de uma esquema que envolvia cerca de R$ 15 milhões, tudo acertado com Michel Temer. Coronel Lima, homem de confiança de Temer, se envolveu no esquema corrupto, segundo a denúncia do executivo

No escritório do coronel, investigadores da #Polícia Federal encontraram documentos que incriminam e mostram a participação do militar na ação. As evidência de recebimento de propina também apontam que Doutor Lima era encarregado para resolver questões financeiras do presidente.

Coronel Lima tem 74 anos e são raríssimas fotos em que aparece. Ele não gosta de holofotes, mas as investigações da PF mudaram a forma com que o militar vive. Além do coronel, Rodrigo Rocha Loures e auxiliares de Michel Temer também estão sendo investigados.

Material apreendido pela Polícia Federal

A Polícia direcionou todo o material encontrado com o coronel para a Procuradoria Geral da República, Michel Temer já negou que tenha qualquer relação com Lima e que o militar nunca foi seu amigo ou o ajudou em questões pessoais e financeiras.

Publicidade

Nos documentos encontrados, a PF ressalta que há comprovantes de pagamentos e recibos que mostram ligação com Michel Temer. No prédio da empresa do coronel também haviam comprovantes de serviços que foram feitos a uma das filhas de Michel Temer, a psicóloga Maristela de Toledo Temer Lulia.

Alguns outros documentos como planilhas que apresentam movimentações financeiras, ligações com o escritório político de Temer e também várias notícias de revistas e jornais falando sobre escândalos de #Corrupção e propinas foram encontrados.

Na manhã deste sábado (3), o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures acabou sendo preso em Brasília. Ele é ex-assessor do presidente Temer. O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, tomou a decisão de prisão.