Desde dezembro de 2015, os senadores #José Serra (PSDB-SP) e Kátia Abreu (PMDB-TO) não se entendem. Os dois acabaram se envolvendo em um barraco, fazendo com que "cortassem relações". Agora, nesta última terça-feira (07), os senadores conseguiram uma conversa com um tom mais amigável, e o clima estaria menos tenso.

Em 2015, Serra acabou chamando Kátia de "namoradeira", o que a deixou furiosa, tendo uma reação inesperada perante o senador: a peemedebista acabou tacando vinho no tucano, mostrando-se muito irritada com as palavras de Serra. O entendimento entre os dois senadores mudou na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) de ontem, Serra tentou mostrar-se mais gentil, e ainda arrancou um sorriso de Kátia.

O tucano chegou na senadora para parabenizá-la do discurso que deu perante a todos que participavam da Comissão, Serra deixou as piadas de lado e encheu de elogios a senadora.

Publicidade
Publicidade

O discurso de Kátia Abreu tratava sobre Reformas que circulam no governo federal.

Fazendo como "quem não está nem aí", Kátia ignorou Serra de início, fingiu que não estava o ouvindo e ficou olhando para um aparelho celular. Com a insistência do senador, não teve jeito, Kátia se rendeu aos elogios com um sorriso e um agradecimento.

Serra foi enfático, disse que Kátia "fala muito bem" e que estaria de "parabéns" pela colocação de suas palavras, ainda tocou as costas da senadora que, sentindo-se lisonjeada, agradeceu ao senador.

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE)

Nesta última terça-feira (06), a CAE tratou propostas do governo federal sobre a Reforma Trabalhista. A Câmara dos Deputados já aprovou a reforma e agora senadores discutiram sobre o caso. A senadora Kátia Abreu apresentou um texto e votou contra o projeto de Lei, ela acresceu 18 itens que, segundo ela, deveriam ser alterados.

Publicidade

Um dos itens é sobre a autorização de gestantes e lactantes a trabalharem em um ambiente insalubre.

Kátia diz que o texto inicial foi muito modificado pelos deputados federais, e que o #Senado Federal precisaria de mais tempo para analisar ferozmente as propostas. Antes de ir para a Câmara, a proposta continha cerca de 7 itens, mas com as mudanças dos deputados, está apresentando 117 artigos.

A senadora analisou que há necessidade de modernizar as Leis, desde que não atrapalhem os trabalhadores brasileiros. Uma de suas propostas é a manutenção do tempo que os trabalhadores têm para fazer suas refeições e descanso na jornada. #Briga