A grave crise política que está trazendo grandes dificuldades para o governo do presidente da República #Michel Temer, também alcançou novo "patamar", a partir das disputas internas do #PMDB no Congresso Nacional, principalmente no Senado Federal. A sigla é vista como extremamente dividida em relação ao apoio às reformas trabalhista e previdenciária que estão sendo tramitadas no Legislativo.

Um dos grandes expoentes de toda essa crise política é o senador alagoano #Renan Calheiros (PMDB-AL). Embora pertença ao PMDB, partido do presidente e parte expressiva de parlamentares da base de sustentação do governo federal, o senador é visto com um grande "opositor" ao governo.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, Renan Calheiros proferiu diversas críticas contra o presidente da República e, inclusive, preparou vídeos que foram divulgados nas redes sociais a respeito de temas "espinhosos" contra o Palácio do Planalto.

Destituição do senador Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros recebeu uma péssima notícia nesta quarta-feira (28). Após sucessivas críticas ao projeto apresentado pelo Palácio do Planalto, em se tratando da reforma trabalhista, o senador alagoano perdeu o posto de líder do PMDB no Senado Federal. Uma articulação comandada pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), aliado do presidente Temer, acarretou uma maioria segura do colegiado de votos do partido para que se implementasse o processo de destituição de Renan Calheiros da liderança do PMDB.

Renan acabou sendo apeado do cargo de líder já nesta quarta-feira.

Publicidade

O Palácio do Planalto tem o objetivo de apoiar a ida do senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) para a função, porém, a ala mais ligada a Calheiros pretende apoiar o senador Jader Barbalho (PMDB-PA).

A gota d´água para que a maior parte do PMDB decidisse pela deposição de Renan Calheiros da liderança da sigla no Congresso, além de toda a artilharia verbal diária do senador contra o presidente, foi a tentativa do grupo de parlamentares ligados ao senador alagoano de querer trocar alguns integrantes do partido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), com o propósito de tentar barrar a votação da reforma trabalhista, o que, se fosse concretizado, poderia acarretar mais problemas ao governo já fragilizado do presidente Michel Temer.

Em uma reunião realizada na noite da última terça-feira (27), o senador Romero Jucá conversou com o presidente Michel Temer a respeito da situação enfrentada pelo governo, a partir da disposição de "enfrentamento" de Renan Calheiros contra o Palácio do Planalto, o que acabou culminando na determinação de derrubá-lo do posto de líder do PMDB no Senado Federal.