A rivalidade entre Michel Temer e Renan Calheiros já é conhecida há tempos. Quando o presidiário Eduardo Cunha entra na equação, aumenta mais ainda. Um dia depois de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, oficializar a denúncia contra Temer, Calheiros resolveu soltar o verbo no plenário do Senado Federal.

Líder da bancada do PMDB na Casa Legislativa, Calheiros criticou Michel Temer e afirmou que um de seus erros foi crer que poderia governar o Brasil ao lado de um presidiário em Curitiba. O nome de Eduardo Cunha não foi diretamente citado, mas a clara mensagem foi entendida por todos.

O discurso de Calheiro foi uma resposta a tentativa de defesa do governo Temer por Romero Jucá, aliado fiel do Planalto.

Publicidade
Publicidade

O senador alagoano disse representar a ala minoritária do PMDB contrária as medidas do Executivo.

Renan Calheiros talvez seja atualmente o principal opositor ao governo de Michel Temer no Congresso Federal. Mesmo sendo do mesmo partido, Calheiros faz críticas diretas ao chefe do Executivo e suas reformas. A situação já chegou a beirar o insustentável, tendo chegado ao ponto da bancada do PMDB da ala governista se reunir com Calheiros e ameaçá-lo retirar do cargo de líder do partido no Senado. #Dentro da política