O clima azedou entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o prefeito de São Paulo, João Doria, ambos do #PSDB. Durante uma palestra realizada nesta sexta (23), na capital paulista, para convidados do Laboratório Alta, de medicina diagnóstica, #FHC ironizou o trabalho do colega de partido, dizendo que, por enquanto, ele só fazia sucesso no celular. Mais tarde, foi a vez do alcaide paulistano soltar o verbo e afirmar que o ex-presidente precisa sair de seu apartamento e caminhar mais pelas ruas da cidade.

Muito marketing

Durante a palestra, o ex-presidente sugeriu que João Doria faz mais publicidade do seu governo na internet do que ações concretas.

Publicidade
Publicidade

“Isso aqui no meu bolso (celular), não está na minha alma. O mundo hoje tem isso aqui na alma. Pega qualquer um. Por que o prefeito de São Paulo está fazendo algum sucesso? Ele (vive) para isso o dia inteiro. Ele fez, mudou alguma coisa? Não vi, mas aqui ele sabe”, disparou.

Cutucada

O prefeito João Doria, que está em Miami, nos Estados Unidos, participando de uma conferência de prefeitos, tomou conhecimento das declarações e tratou de não deixar o colega de partido sem resposta: “Respeito muito o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas acho que ele está precisando sair um pouco de seu apartamento e visitar São Paulo”.

Rixa é antiga

Por mais que tentem demonstrar respeito mútuo, FHC e Doria já se estranharam em outras ocasiões. Em março deste ano, o ex-presidente criticou a ideia de lançarem o prefeito como candidato à presidência já em 2018 e ainda ironizou a afirmação de Doria de que é gestor e não político: “O importante na política é ser líder.

Publicidade

Se você for gestor, não vai inspirar nada, tem que ser líder. Para governar tem que ter credibilidade. Isso não é igual a popularidade“.

Na ocasião, Doria também não deixou passar e declarou: “Eu só lembro que ele previu que eu não seria candidato pelo PSDB. Apoiou outro candidato. Ele mesmo confessou que, quando comecei a campanha para prefeito, acreditava que eu não seria eleito. Venci as duas. Os dois prognósticos ele errou”.

De olho em 2018

Apesar de Doria declarar que pretende terminar os seus quatro anos à frente da Prefeitura de São Paulo e que seu candidato à presidência é o governador Geraldo Alckmin, muitos especialistas em política apostam que Doria está fazendo campanha visando o Planalto, algo que desagrada tucanos da velha guarda, dentre eles, FHC. Promessa de novos embates no ar. #João Dória